Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Por uso de sinalizadores, Corinthians perde mando também na Copa do Brasil

Caso passe pelo Grêmio, time terá que mandar jogo da semifinal e eventual final longe de casa

VITOR MARQUES, Agência Estado

24 de setembro de 2013 | 20h12

SÃO PAULO - O Corinthians foi punido nesta terça-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com a perda de dois mandos de campo na Copa do Brasil. A pena foi aplicada pelo uso de sinalizadores na arquibancada por um grupo de torcedores corintianos na partida em Lucas do Rio Verde (MT), contra o Luverdense, pelas oitavas de final da competição.

Agora, se passar pelo Grêmio, contra quem abre o confronto das quartas de final nesta quarta-feira, o Corinthians terá de disputar a semifinal e uma eventual final longe do Pacaembu. Além disso, o clube foi multado em R$ 100 mil. O departamento jurídico corintiano, ciente da punição, irá recorrer da decisão e entrar com um pedido de efeito suspensivo.

O Corinthians já havia sido punido com a perda de mando de campo no Campeonato Brasileiro, numa pena de quatro jogos, por causa da briga entre torcedores corintianos e vascaínos na partida disputada no Estádio Mané Garrincha, no dia 25 de agosto, em Brasília. Pelo Brasileirão, o clube informou nesta terça-feira que dois desses quatro jogos da punição, contra Bahia e Atlético-PR, serão disputados em Mogi Mirim, no interior de São Paulo. As outras duas partidas, diante de Criciúma e Santos, seguem com local ainda indefinido.

Também pelo uso de sinalizador na torcida corintiana, o Corinthians já havia sido punido na edição deste ano da Libertadores, jogando com portões fechados, depois da morte do jovem boliviano Kevin Espada na partida contra o San Jose, em Oruro, na Bolívia.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.