Divulgação/Ceará
Divulgação/Ceará

Por vaga na Sul-Americana, Lisca vai ter força máxima e apoio da torcida do Ceará

Para duelo decisivo contra o Vasco, time tem a expectativa de contar com 59 mil torcedores na Arena Castelão

Estadão Conteúdo

02 Dezembro 2018 | 14h25

Livre do rebaixamento na rodada passada, agora a intenção do Ceará é buscar uma vaga na Copa Sul-Americana de 2019. Para isso, vai contar com um forte aliado: a sua torcida. A expectativa é pela presença de 59 mil torcedores na Arena Castelão, em Fortaleza, para o duelo contra o Vasco, pela 38.ª e última rodada do Campeonato Brasileiro. Na última quarta-feira já tinha sido esgotados os 35 mil bilhetes colocados à venda na bilheteria. O restante foi destinado ao Sócio Torcedor.

Com 43 pontos, o Ceará precisa vencer para garantir a sua vaga na Sul-Americana. Caso empate, vai ter que torcer por uma derrota do Fluminense, que tem 42, diante do América-MG, no duelo contra o rebaixamento, no Rio de Janeiro.

O técnico Lisca fechou os treinos durante a semana. A oportunidade de cravar uma vaga em um torneio continental levou o treinador a optar por escalar o que tem de melhor, apesar de já ter conquistado o principal objetivo do time: permanecer na Série A.

Para o técnico, o Ceará está preparado para uma nova decisão. "Desde que cheguei aqui eu tratei todos os jogos como decisivos. Escapamos do rebaixamento, o que prova a força do time. Agora é buscar esta vaga na Sul-Americana, com o apoio de nossa torcida. Sei que com o pessoal gritando na arquibancada, nosso time vai dar o máximo em campo", avaliou.

Lisca só não poderá contar com o atacante Leandro Carvalho, suspenso com três cartões amarelos. Com isso, o ataque deve ser formado por Felipe Azevedo, Calyson e Arthur, anunciado como novo reforço do Palmeiras na última sexta-feira. O artilheiro da equipe garantiu presença em sua despedida do time alvinegro.

Calyson, inclusive, retorna após cumprir suspensão no empate por 2 a 2 diante do Atlético-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba. Além dele, Edinho pode aparecer como opção para o meio de campo. Juninho assumiu a titularidade após retornar de lesão, mas vem sendo um dos jogadores mais desgastados nesta reta final. Caso seja preservado, o ex-volante do Palmeiras deve assumir a função.

"Com a permanência garantida, devemos jogar com um pouco menos de peso contra o Vasco. Sem dúvida, a pressão é menor. Mas temos um grande objetivo, que serve para premiar essa retomada no campeonato", disse Luiz Otávio.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.