Porto acusa Uefa de tratamento desigual na Liga dos Campeões

Entidade expulsou o clube português do torneio por tentativas de suborno à arbitragem; Milan passou ileso

EFE,

04 de junho de 2008 | 17h23

Poncio Monteiro, membro do Conselho Superior do Porto, disse nesta quarta-feira, que a Uefa tratou o clube de forma desigual ao expulsá-lo da Liga dos Campeões 2009, por duas tentativas de suborno de árbitros em 2007. "Não há um tratamento igual para todos. Acho que há outros interesses nesta medida", comentou o dirigente à imprensa portuguesa. Veja também: Uefa decide expulsar Porto da Liga dos Campeões 2009 A crítica se deve ao caso do Milan, em 2006, que também esteve envolvido no esquema de arranjo de resultados no Campeonato Italiano, assim como Juventus, Fiorentina e Lazio, que foram rebaixados. O time rubro-negro disputou a Liga dos Campeões seguinte mesmo punido com a perda de pontos. No caso do Porto, o time é o campeão e isso não muda. Monteiro lembrou que "uma equipe prejudicada sempre beneficia outras" e acha que há certas partes que querem obter vantagens com a saída do atual tricampeão português, mas não deu nomes. O Porto tem até o próximo dia 9 para apresentar um recurso no Comitê de Apelação da Uefa. Se for rejeitado, pode levar o caso ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, em francês), como última instância. O Comitê de Controle e Disciplina da Uefa tomou a decisão com base na punição da Liga portuguesa, que condenou o Porto por tentativa de corrupção na temporada 2003-04 no caso chamado "Apito Final" - derivado do "Apito Dourado". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.