Maxim Shemetov/Reuters
Maxim Shemetov/Reuters

Porto bate Lokomotiv e assume liderança isolada do grupo na Liga dos Campeões

Time português triunfa em Moscou e chega a sete pontos, mantendo rival na lanterna

Estadão Conteúdo

24 Outubro 2018 | 18h06

O Porto visitou o Lokomotiv nesta quarta-feira, em Moscou, e sairá da Rússia com a liderança isolada do Grupo D da Liga dos Campeões. A equipe dos brasileiros Éder Militão, Felipe e Alex Telles, todos titulares no confronto, derrotou o adversário por 3 a 1 e manteve-se invicta na competição.

O resultado levou o Porto a sete pontos, deixando para trás o Schalke 04 e o Galatasaray, que empataram em 0 a 0 nesta quarta, em Istambul, e têm cinco e quatro pontos, respectivamente. Saco de pancadas da chave, o Lokomotiv segue na lanterna, ainda sem pontuar.

Jogando em casa, o Lokomotiv começou melhor, ganhou o campo de ataque e teve a chance de abrir o placar aos nove minutos, em cobrança de pênalti que Manuel Fernandes desperdiçou. Aos 25, porém, foi o Porto que abriu o placar deste mesmo jeito. O árbitro viu pênalti polêmico em Danilo Pereira, Moussa Marega foi para a cobrança e balançou a rede.

O gol embalou o Porto, que cresceu e ampliou somente nove minutos mais tarde. Jesus Corona fez boa jogada pela direita e cruzou na cabeça de Hector Herrera, que cabeceou para a rede. A resposta do Lokomotiv veio três minutos mais tarde. O brasileiro Éder Militão dominou errado e entregou para Aleksey Miranchuk, que rolou para Anton Miranchuk marcar.

O Lokomotiv voltou do intervalo disposto a ir para cima, mas o balde de água fria veio apenas com um minuto. Em rápido contra-ataque, Corona recebeu de Brahimi e finalizou para a rede. A tarefa dos russos, que já estava complicada, ficou quase impossível aos 30, quando Kverkveliya foi expulso e jogou por água abaixo qualquer chance de reação.

A próxima rodada da chave vai acontecer no dia 6 de novembro, quando o Porto volta a encarar o Lokomotiv, desta vez em Portugal, e o Schalke recebe o Galatasaray em Gelsenkirchen.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.