Portsmouth entra em concordata na Inglaterra

O Portsmouth se tornou nesta sexta-feira o primeiro clube da primeira divisão inglesa a ficar sobre administração judicial. A medida tem o intuito de proteger os credores da equipe, depois que as tentativas de reestruturação fracassaram. O clube, que disputa a liga de futebol mais rica do mundo, teve concedida proteção contra falência apenas dois anos após conquistar o título da Copa da Inglaterra.

AE, Agencia Estado

26 de fevereiro de 2010 | 11h50

"Às 10h20 de hoje, o Portsmouth Football Club foi colocado sob administração após a apresentação de comunicado da Suprema Corte", disse o clube, em nota publicada no seu site oficial.

Com isso, o rebaixamento para a segunda divisão se tornou praticamente certa, já que o clube dirigido por Avram Grant foi punido com a perda de nove pontos. Assim, o time está 17 pontos atrás da primeira equipe fora da zona de descenso.

Depois que o quarto dono do Portsmouth na temporada não conseguiu quitar dívidas de 70 milhões de libras, o administrador Andrew Andronikou tentará firmar acordo com credores e pode rescindir contratos de jogadores.

Ao estar sob administração, uma ordem de liquidação da Receita e da autoridade aduaneira sobre impostos não pagos está suspensa. A Fifa deverá discutir a situação do clube de 112 anos na reunião do seu comitê executivo no dia 18 de março.

O Portsmouth já esteve sob administração em um outro momento, em dezembro de 1988, quando Milan Mandaric adquiriu o clube. Ele fez investimentos pesados no time, que voltou à elite do futebol inglês em 2003, com altos gastos em transferências e salários. O clube foi campeão da Copa da Inglaterra em 2008, mas desde então passou a sofrer com problemas financeiros.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPortsmouthconcordata

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.