Francisco Seco / AP
Francisco Seco / AP

Portugal desiste de fazer reconhecimento do gramado e realiza treino fechado

Técnico Fernando Santos não revela a escalação e mantém dúvida no ataque da equipe

Estadão Conteúdo

19 Junho 2018 | 05h50

A seleção portuguesa realizou nesta terça-feira o último treino antes do duelo contra Marrocos. O técnico Fernando Santos abriu mão de fazer o reconhecimento do gramado no estádio Lujniki, em Moscou, e realizou a atividade no local onde a delegação está concentrada, em Kratovo.

+ Solidário, Cristiano Ronaldo se mostra muito mais que um goleador

+ Portugal estuda duas opções para parceria com Cristiano Ronaldo

Depois de empatar por 3 a 3 com a Espanha na estreia, o time português enfrentará a seleção marroquina nesta quarta-feira, às 9h (de Brasília), em duelo válido pelo Grupo B. Cristiano Ronaldo, principal destaque da estreia ao anotar os três gols, treinou normalmente e demonstrou estar recuperado do incômodo no tornozelo.

O craque português reclamou de dores no local durante a partida com a Espanha, realizada na última sexta-feira. Nos dois dias seguintes, ele realizou tratamento e parece ter melhorado. O técnico Fernando Santos abriu apenas a primeira parte do treino para os jornalistas e não revelou a escalação para a partida.

Enquanto a imprensa esteve no local, nos 15 minutos iniciais, os 23 jogadores convocados fizeram exercícios físicos. A principal dúvida na escalação está em quem será o companheiro de ataque de Cristiano Ronaldo. Contra a Espanha, o treinador optou por Guedes, um jogador mais de velocidade.

 

Mas contra Marrocos, como Portugal terá que tomar a iniciativa da partida e precisará mais de saída de bola, ele pode mandar a campo André Silva. A confirmação da escalação deve sair apenas momentos antes da partida.

No outro jogo da chave, também na quarta-feira, mas às 15h, a Espanha enfrentará a seleção do Irã, em Kazan. A seleção iraniana, com uma surpreendente vitória por 1 a 0 sobre Marrocos na estreia, lidera o grupo com três pontos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.