Portugal massacra e goleia Coreia do Norte por 7 a 0

A seleção de Portugal conseguiu alcançar a meta de vencer por uma boa margem de gols nesta segunda-feira e goleou a Coreia do Norte por 7 a 0, em partida disputada no Estádio Green Point, na Cidade do Cabo, e válida pela segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo da África do Sul. Até agora, esta é a maior goleada da competição.

LEANDRO SILVEIRA, Agência Estado

21 de junho de 2010 | 10h43

Assim, Portugal vai entrar na última rodada do Grupo G em situação mais tranquila, já que está com sete gols de saldo, enquanto a Costa do Marfim tem saldo negativo de dois gols. Na última rodada da chave, no dia 25 de junho, os portugueses vão duelar com o Brasil, em duelo que valerá a liderança do grupo, enquanto que a Coreia do Norte, que já está eliminada, vai medir forças com os marfinenses.

O duelo desta segunda marcou a repetição de um dos maiores jogos da história da Copa do Mundo. Em 1966, depois de estar perdendo por 3 a 0, Portugal conseguiu uma vitória e derrotou a Coreia do Norte por 5 a 3, nas quartas de final. E não foi dessa vez que os norte-coreanos conseguiram se vingar desse incrível revés. Além disso, agora acumulam 12 gols sofridos contra Portugal em dois confrontos em Mundiais.

O técnico Carlos Queiroz fez quatro alterações na escalação de Portugal em relação ao time que empatou por 0 a 0 com a Costa do Marfim para o confronto com a Coreia do Norte. Liedson, Deco, Danny e Paulo Ferreira foram trocados por Hugo Almeida, Tiago, Simão e Miguel, respectivamente.

Apesar da larga vitória, Portugal não teve uma boa atuação no primeiro tempo e, aplicada e disciplinada, a Coreia do Norte surpreendeu ao adotar uma postura ofensiva na etapa inicial, mas pecou pelas suas deficiências. Assim, também deixou espaços na sua retaguarda. Na etapa final, os portugueses aproveitaram estes espaços, jogaram em velocidade, abusando dos contra-ataques e construíram a goleada, marcando seis gols nos 45 minutos finais, o que mostrou o seu poderio ofensivo.

O JOGO - A seleção portuguesa começou a partida no ataque, quase sempre acionando o astro Cristiano Ronaldo. E a equipe teve uma boa oportunidade de gol aos sete minutos. Simão cobrou escanteio, o goleiro Ri Myong-Guk saiu mal e Ricardo Carvalho cabeceou, acertando a trave norte-coreana.

A postura ofensiva portuguesa deixava espaços na defesa, que eram explorados pela Coreia do Norte, que atuava menos recuada do que contra a seleção brasileira, e arriscava vários chutes, mas pecava pela falta de qualidade técnica. Aos 18 minutos, Young-Jo avançou pela direita e finalizou cruzado, de fora da área. O goleiro Eduardo cabeceou e Tae-Se, aproveitando o rebote, cabeceou para fora.

Mesmo com Cristiano Ronaldo tendo espaço para atacar, Portugal pecava pela falta de criatividade e não conseguia criar chances perigosas. E foi a Coreia do Norte que voltou a chegar com perigo. Aos 21 minutos, após troca de passes, An Yong-Hak finalizou de esquerda para fora, mas com a bola passando muito perto da trave direita do gol defendido por Eduardo.

Portugal abriu o placar aos 29 minutos, mesmo sem apresentar grande volume de jogo. Na jogada do gol, Tiago passou para Raúl Meirelles, que entrou em velocidade na grande área a bateu rasteiro, na saída do goleiro. Em desvantagem, a Coreia do Norte adotou postura ofensiva, mas falhava ao errar muitos passes na intermediária, o que a impedia de criar chances de gol, mesmo com o espaço deixado pelos defensores portugueses.

Assim como foi o primeiro tempo, a etapa final começou movimentada e aberta, com as duas equipes tendo liberdade para atacar e arriscando finalizações de fora da área. Portugal aproveitou os espaços e marcou o seu segundo gol aos oito minutos. Hugo Almeida ajeitou para Raul Meirelles, que deu um passe entre dois zagueiros para Simão. Na cara do gol, o atacante tocou por baixo de Ri Myong-Guk.

Aproveitando os contra-ataques, Portugal chegou com facilidade ao terceiro gol. Aos 11 minutos, Fábio Coentrão avançou com velocidade pela esquerda e cruzou para Hugo Almeida cabecear para as redes. E o quarto gol saiu pouco depois, aos 15 minutos. Cristiano Ronaldo puxou contra-ataque pela esquerda e tocou para o meio da área para Tiago, que finalizou de primeira, sem chance de defesa.

Com grande vantagem, Portugal dominava completamente a partida e aproveitava os espaços deixados pelos defensores norte-coreanos. Assim, criava várias chances de gol, com passes de Cristiano Ronaldo. Aos 19 minutos, ele deu bom toque para Raúl Meirelles, que, na grande área, chutou para fora. Aos 23, Cristiano Ronaldo trocou passes com Fábio Coentrão, que finalizou para fora.

Com a Coreia do Norte perdida em campo, Portugal tinha várias oportunidades, mesmo atuando em ritmo de treino. Aos 26 minutos, Cristiano Ronaldo arriscou da intermediária e acertou o travessão do gol da Coreia do Norte. Barrado, Liedson entrou em campo no segundo tempo e marcou o quinto gol português aos 36 minutos na sua primeira jogada. Duda tentou o lançamento na área, Ri Kwang-Chon furou e a bola sobrou para o atacante, que chutou de esquerda, marcando o seu primeiro gol na Copa.

Aos 42 minutos, Liedson ganhou dividida com a defesa e a bola sobrou para Cristiano Ronaldo, que tentou driblar o goleiro. A bola subiu, bateu na nuca do português, que apenas empurrou a bola para as redes. Portugal definiu a sua vitória por 7 a 0 aos 44 minutos. Fábio Coentrão avançou pela esquerda e cruzou para Tiago, de cabeça, marcar o seu segundo na partida.

FICHA TÉCNICA:

Portugal 7 x 0 Coreia do Norte

Portugal - Eduardo; Miguel, Ricardo Carvalho, Bruno Alves e Fábio Coentrão; Pedro Mendes, Raúl Meireles (Miguel Veloso) e Tiago; Cristiano Ronaldo, Hugo Almeida (Liedson) e Simão (Duda). Técnico - Carlos Queiroz.

Coreia do Norte - Ri Myong-Guk; Cha Jong-Hyok (Nam Song-Chol), Pak Chol-Jin, Ri Jun-Il, Ri Kwang-Chon e Ji Yun-Nam; Mun In-Guk (Kim Yong-Jon), An Yong-Hak e Pak Nam-Chol (Kim Kum-Il); Hong Young-Jo e Jong Tae-Se. Técnico: Kim Jong Hun. Técnico - Kim Jong-Hun.

Gol - Raúl Meirelles, aos 29 minutos do primeiro tempo; Simão, aos 8, Hugo Almeida, aos 11, Tiago, aos 15 e aos 44, Liedson, aos 36, e Cristiano Ronaldo, aos 42 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Pablo Pozo (Chile).

Cartões amarelos - Pedro Mendes e Hugo Almeida (Portugal); Pak Chol-Jin e Hong Young-Jo (Coreia do Norte).

Público: 63.644 torcedores.

Local - Estádio Green Point, na Cidade do Cabo (África do Sul).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.