Portugal vence nos números, mas só decide nos pênaltis

Mesmo superior na estatísticas e com um jogador a mais desde os 16 minutos do segundo tempo, Portugal não consegue vencer a Inglaterra durante os 90 minutos, porém consegue a classificação à semifinal do Mundial nos pênaltis (3 a 1), neste sábado, em Gelsenkirchen. Os portugueses tiveram mais posse de bola, finalizaram mais, fizeram bem menos faltas e jogaram boa parte da etapa final com um jogador a mais após a expulsão do atacante Wayne Rooney, mas mesmo assim, só conseguiram definir a partida nas cobranças de penalidades.Portugal ficou mais com a bola no pé. Form 57% de posse contra 43% dos ingleses. Mas a falta de qualidade nas finalizações marcou o jogo português, que mesmo finalizando mais vezes contra a meta de Robinson, 20 vezes com nove acertos. Já a Inglaterra, mesmo com uma quantidade bem menor de finalizações, teve um melhor aproveitamento. Quatro chutes certos em nove tentativas.Um detalhe interessante foi as poucas faltas cometidas por Portugal, que antes desta partida havia feito o jogo mais violento de todas as Copas contra a Holanda nas oitavas-de-final. O time de Felipão cometeu dez infrações e foi punido com dois cartões amarelos. Os ingleses, por sua vez, fizeram 21 faltas, levaram também dois amarelos e ainda tiveram Rooney expulso.O volante do Bayern de Munique, Owen Hargreaves foi eleito o melhor jogador da partida pela Fifa. O atleta foi o principal ladrão de bolas da equipe e que deu diversas oportunidades para contra-ataques ingleses, principalmente após o English Team ficar com um jogador a menos. Veja abaixo as estatísticas do jogo:Finalizações: Inglaterra, 9; Portugal, 20 Finalizações certas: Inglaterra, 4; Portugal, 9 Faltas cometidas: Inglaterra, 21; Portugal, 10 Cartões amarelos: Inglaterra, 2; Portugal, 2 Cartões vermelhos: Inglaterra, 1; Portugal, 0 Escanteios: Inglaterra, 6; Portugal, 4 Impedimentos: Inglaterra, 0; Portugal, 3 Posse de bola: Inglaterra, 43%; Portugal, 57% Melhor jogador da partida: Owen Hargreaves(Inglaterra)(Com fifaworldcup.com)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.