Miguel Ángel Molina/EFE
Miguel Ángel Molina/EFE

Português Abel Ferreira aceita proposta e é o novo técnico do Palmeiras

Treinador, que comandou o PAOK, da Grécia, pela última vez nesta quinta-feira, define apenas quando irá se apresentar ao clube alviverde

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2020 | 21h54

Palmeiras tem novo técnico. Abel Ferreira será anunciado como o novo comandante do clube alviverde nesta sexta-feira. O treinador português, de 41 anos, deixa o PAOK, da Grécia, rumo ao Palestra Itália. Ele também acumula passagens pelo Sporting Braga e pelas categorias de base e time B do Sporting de Lisboa. O contrato é válido até dezembro de 2022. Ainda não foi definida a data de apresentação.

Desde a demissão do técnico Vanderlei Luxemburgo, muitos nomes foram especulados no Palmeiras. Estrangeiros eram os preferidos. O time alviverde chegou a enviar membros da sua diretoria ao Equador para fechar a contratação do técnico espanhol Miguel Ángel Ramírez, do Independiente del Valle. A exigência de assumir o trabalho somente após a eliminação do time equatoriano na Libertadores impediu a chegada do treinador.

A torcida palmeirense pediu a contratação de Gabriel Heinze, e foram noticiadas também intenções do Palmeiras em contar com os trabalhos dos também argentinos Sebastián Beccacece, do Racing, e Ariel Holan, da Universidad Católica. Por fim, a equipe alviverde seguiu a indicação por um técnico estrangeiro e acertou a vinda de Abel Ferreira.

Neste ano, o técnico português ganhou notoriedade ao eliminar o Benfica, de Jorge Jesus, nos play-offs da Liga dos Campeões. Em jogo único, a equipe de Abel venceu por 2 a 1. Na fase seguinte, porém, com duas derrotas para o Krasnodar, da Rússia, a equipe foi eliminada e acabou direcionada para a Liga Europa.

Na temporada 2017-18, pelo Sporting Braga, onde começou sua carreira como técnico de equipes profissionais, Abel Ferreira alcançou o maior número de pontos da história da equipe no Campeonato Português. A campanha chegou aos 75 pontos, com 24 vitórias, três empates e sete derrotas. O time teve o terceiro melhor ataque da competição, com 74 gols, à frente do Sporting, que à época era comandado por Jorge Jesus. A equipe de Braga sofreu 29 gols, a quarta melhor defesa.  Na temporada seguinte, a equipe não conquistou o mesmo feito. Mesmo assim, chegou na quarta posição novamente.

Depois de pouco mais de duas temporadas à frente da equipe portuguesa, Abel Ferreira foi contratado pelo PAOK, que havia sido campeão grego no ano anterior. Lá, o trabalho não conquistou os mesmos resultados, com um segundo lugar no Campeonato Grego. Na atual temporada, a trajetória foi marcada por alguns tropeços e insatisfação por parte da torcida e de alguns dirigentes.

Nesta quinta-feira, o técnico português comandou a equipe grega pela Liga Europa, na Espanha, contra o Granada. O jogo terminou empatado em 0 a 0. O PAOK alcançou seu terceiro jogo sem vencer e ainda não conquistou os três pontos pela competição europeia, onde soma dois empates. 

Horas antes da confirmação, após seu último jogo como técnico do PAOK, da Grécia, o técnico português desconversou, na coletiva de imprensa, sobre a possibilidade de assumir o Palmeiras. "Não sei, vamos ver. O jogo acabou agora, sou treinador do PAOK. Não sou eu que tenho que falar sobre isso. Tenho contrato com o PAOK. Não assinei nada, o jogo acabou agora. Não sou eu que tenho que falar sobre nada", disse Abel.

Também sobre a saída do clube grego, Abel Ferreira, contrariado, afirmou que manteria as características de jogo do PAOK, independentemente das críticas. "Os treinadores só são bons se os jogadores em campo demonstram qualidade. Se o PAOK pagou 2,5 milhões por mim, é porque viu qualidade no jogo do Braga. Se há clubes interessados nos jogadores ou no treinador do PAOK, é porque há qualidade no campo. Mas também há quem não goste. Portanto, vou continuar a fazer o que eu acredito, que é jogar dessa maneira, jogar pra ganhar", desabafou o novo técnico do Palmeiras.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasAbel FerreiraPAOKfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.