Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Portuguesa corre contra o tempo para desinterditar o Canindé

Estádio está interditado desde o dia 18 novembro e clube corre contra o tempo para estar à disposição na estreia do Paulistão

Estadão Conteúdo

21 de janeiro de 2015 | 18h46

A diretoria da Portuguesa corre contra o tempo para liberar o Estádio do Canindé para as primeiras rodadas do Campeonato Paulista. De acordo com o vice-presidente administrativo Eduardo Melara, a expectativa é de que o local esteja liberado para a segunda rodada contra o São Bento, no dia 4 de fevereiro. Na estreia, o time visita a Ponte Preta, em Campinas.

O Canindé está interditado desde 18 de novembro, por conta de um laudo de segurança vencido no dia 14 do mesmo mês. Para liberar o estádio, a Polícia Militar solicitou o alvará de funcionamento do clube, que será concedido pela Prefeitura de São Paulo. "Temos uma pessoa que está comparecendo todos os dias na prefeitura para verificar este processo", revelou Melara.

Além da Portuguesa, outros seis clubes, de um total de 20 que disputam o Paulistão, seguem com seus estádios interditados. Entre eles, Capivariano, Portuguesa, Mogi Mirim, Botafogo, Linense, Bragantino e Ituano, que é o atual campeão da competição.

Enquanto a diretoria trabalha pela liberação do Canindé, o elenco da Lusa continua treinando forte na pré-temporada, no CT do Parque Ecológico, na Zona Leste de São Paulo. Apesar das cobranças do técnico Aílton Silva, os jogadores aprovam a rotina intensa de treinos. "A preparação está ótima. O Aílton é um cara novo e que nos cobra muito na parte tática", afirmou o zagueiro Valdomiro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPortuguesaCanindé

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.