Alexandre Battibugli/Ag. Paulistão
Alexandre Battibugli/Ag. Paulistão

Portuguesa é empurrada pela torcida no Canindé, bate o São Bento e é campeã da Série A2

Com acesso garantido no Paulistão, Lusa faz 2 a 0 e coroa campanha com grande festa em sua casa

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2022 | 21h43

A Portuguesa confirmou o favoritismo e conquistou o título do Campeonato Paulista da Série A2, neste domingo, no Canindé, ao vencer o São Bento por 2 a 0. Como o primeiro jogo terminou empatado em 1 a 1, a Lusa ergueu a taça diante de sua torcida. Esta foi a terceira vez que a Portuguesa faturou o torneio (2007, 2013 e 2022).

Os dois finalistas já haviam garantido o acesso à elite paulista em 2023, com as vitórias na fase semifinal. A Portuguesa estava fora da Série A1 há sete anos. O São Bento, por sua vez, ficou ausente apenas um ano, porque foi rebaixado em 2021. Após o jogo houve muita festa da torcida e também dentro de campo. O técnico Sérgio Soares era um dos mais animados. O treinador tem contrato apenas até o dia 30 de abril, mas negou que haja acordo para deixar a Lusa e treinar o Náutico na Série B do Campeonato Brasileiro.

“A Portuguesa não só ascendeu à Série A1, ela fez por merecer. Estou há cinco meses aqui, mas de tão bem que me sinto, parece mais. Só posso agradecer a todos os envolvidos nesse trabalho excepcional, funcionários, atletas, dirigentes, todo o estafe, e a torcida que apoiou desde o primeiro jogo”, valorizou Soares, que também projetou o futuro da Portuguesa.

“Ela volta para o lugar que merece, o lugar que é dela. Hoje não foi o fim, mas o começo de jogos que virão para a história da Portuguesa, que o torcedor já começou a reviver nesse Canindé lotado. Jogos que o torcedor está ansioso para assistir, aqui no Canindé, na Neo Química Arena, no Allianz Parque, no Morumbi. Vai voltar a marcar sua presença, como estava acostumado”, finalizou.

O presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Reinaldo Carneiro Bastos, comandou a premiação com troféus e medalhas. O campeão vai receber R$ 280 mil, e o vice-campeão ficará com a quantia de R$ 200 mil. Mais uma vez, a torcida mostrou sua força e encheu o Canindé, com 12.219 pessoas.

Desde os primeiros minutos, a Portuguesa mostrou que iria brigar pela vitória. Mas só abriu o placar no final do primeiro tempo. Depois de muita pressão, o gol saiu aos 43 minutos. Daniel Costa cobrou escanteio, e Naldo apareceu entre os zagueiros para cabecear. A arbitragem assinalou gol contra de Vitor Pereira.

A Portuguesa continuou melhor no segundo tempo e ampliou aos 16 minutos. Daniel Costa levantou a bola dentro da área, onde o atacante Luan disputou com o zagueiro Diego Sacoman, que acabou jogando contra o próprio gol. Com isso, a Lusa ampliou a vantagem.

O São Bento ainda tentou ir para o tudo ou nada, mas não teve forças. A Lusa ainda acertou a trave com Léo Castro e nos acréscimos, o lateral Eduardo Diniz ainda perdeu um gol claro. Ele caminhou com a bola desde o campo de retaguarda, passou pela defesa, pelo goleiro e na hora do chute bateu para fora, com a meta vazia. A sorte é que o título já estava garantido, e a torcida pôde soltar o grito de campeão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.