Portuguesa e Guarani ficam no 1 a 1

Com um gol do ex-bugrino Mendes aos 45 minutos do segundo tempo, a Portuguesa ratificou sua vaga no quadrangular final da Série B do Campeonato Brasileiro ao empatar por 1 a 1 com o Guarani, neste sábado à tarde, no Brinco de Ouro, na última rodada das semifinais. Com o resultado, a Lusa terminou na segunda colocação do Grupo B, com 10 pontos. O Guarani ficou na lantera, com apenas quatro pontos. O Marília, que venceu o Náutico, por 4 a 3, ficou em terceiro lugar, com nove pontos, mas foi eliminado. Único representante paulista no quadrangular final, a Portuguesa vai estrear contra o Santa Cruz, no Canindé. O Náutico pegará o Grêmio, em Recife (PE).O herói da classificação foi o atacante Mendes, que coincidentemente foi dispensado do Guarani no início da competição, tendo disputado alguns jogos pelo time campineiro. "Fui bem no lance, bati bem. Nunca tive desconfiança do meu trabalho. Mostrei para diretoria do Guarani que poderia ter feito muito com a camisa deles", desabafou. Desde que caiu para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2002, é a primeira vez que a Lusa chega ao quadrangular final. Em 2003 terminou em 13.º colocado e no ano passado em 11.º, nem se classificando para as semifinais.O primeiro tempo foi equilibrado, com leve predomínio do Guarani que dominou o setor de meio de campo. A Portuguesa saiu no lucro com o empate sem gols. "Ficamos preocupados com o jogo lá em Marília e ainda jogamos contra o vento. Mas tudo vai mudar no segundo tempo", prometeu o zagueiro Silvio Criciúma, capitão da Lusa.Na etapa final, os dois times voltaram mudados. O Guarani com Émerson Guaranésia no lugar do inconstante Ênio. Na Lusa, entraram Émerson e Leandro Amaral nos lugares de Oliveira e Jonhson, respectivamente. Com isso, a equipe passou a jogar a segunda etapa com três zagueiros. Os dois times criaram boas chances, mas quem abriu o placar foi o time da casa. Após uma cobrança de falta pelo lado direito, o zagueiro Paulão enfiou a cabeça, marcando o gol, aos 32 minutos. O Guarani ainda teve duas chances valiosas, mas desperdiçou. O castigo veio no final, quando Mendes roubou a bola de Paulão, com um toque de braço, e deixou tudo igual. Placar justo e festa lusitana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.