José Patrício/AE
José Patrício/AE

Portuguesa e Ponte Preta empatam e ficam longe do G-4

Jogo termina em 1 a 1 na Arena Barueri e resultado é ruim para os dois times, que ainda sonham com o acesso

Agencia Estado

15 de setembro de 2009 | 21h50

Na briga por posições e para chegar no G-4, o grupo de acesso, Portuguesa e Ponte Preta empataram por 1 a 1, nesta terça-feira, em Barueri, pela 24.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O resultado foi justo. A Lusa, que vinha de três vitórias consecutivas, ficou com 38 pontos - dois a mais que a equipe de Campinas.

Veja também:

Brasileirão Série B - tabela Classificação | lista Tabela

especialSÉRIE B - Leia mais sobre a competição

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Com o Canindé interditado, a Portuguesa, pela segunda vez consecutiva, atuou na Arena Barueri. Num jogo equilibrado, quem sai na frente leva vantagem. E a Ponte Preta abriu o placar aos cinco minutos. Depois de receber de Danilo Neco, o atacante Evando driblou um zagueiro e bateu forte na saída do goleiro Muriel.

Este gol reforçou o esquema defensivo campineiro. Apesar de ter Danilo Neco e Evando no ataque e o meia Nenê livre para armar as jogadas, o restante do time ficava atrás numa forte marcação. Este posicionamento dificultou as ações ofensivas da Portuguesa, limitada à sua jogada principal: os levantamentos na área em cobranças de faltas.

No intervalo, houve muita discussão em campo, mostrando o clima nervoso de todos. O atacante Zé Carlos, da Lusa, deu um tapa no rosto do volante Deda, da Ponte Preta, que depois teria revidado. Os jogadores campineiros reclamaram do árbitro, com razão, porque ele só mostrou cartão amarelo para os pontepretanos Pirão, Eduardo Arroz, Edílson e Jean. E ninguém da Portuguesa foi advertido.

No segundo tempo, a equipe paulistana voltou mais agressiva, tocando a bola e envolvendo a defesa rival. Depois de vários escanteios, o empate saiu aos 10 minutos. A defesa não aliviou e a bola sobrou para o chute forte de Anderson Paim. O goleiro Giovanni saltou e rebateu a bola na cabeça de Fellype Gabriel, que completou para as redes.

Depois do empate, o ritmo do jogo diminuiu. A marcação voltou a ser a prioridade dos dois times, mas a partida parecia aberta para os contra-ataques. E quem esteve mais perto do gol foi a Ponte Preta, que criou três grandes chances. A melhor delas aconteceu aos 33 minutos, quando Danilo Neco avançou sozinho, driblou o goleiro Muriel e só não desempatou porque Acleisson salvou em cima da linha.

Aos 35, aconteceu o esperado. Deda e Zé Carlos voltaram a se estranhar e acabaram, merecidamente, expulsos. O jogo terminou empatado e ninguém pode reclamar de nada.

Na próxima sexta, a Ponte Preta vai enfrentar o São Caetano, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela abertura da 25.ª rodada. No sábado, a Portuguesa vai pegar o Ipatinga, novamente na Arena Barueri, às 21 horas.

PORTUGUESA 1 X 1 PONTE PRETA

Portuguesa - Muriel; Bruno Rodrigo, Preto Costa (Ygor) e Thiago Gomes; César Prates, Acleisson, Preto (Héverton), Marco Antônio e Anderson Paim; Fellype Gabriel (Tatá) e Zé Carlos. Técnico: Vágner Benazzi

Ponte Preta - Giovanni; Edilson, Jean, Dezinho e Vicente; Deda, Pirão, Eduardo Arroz (Guilherme) e Nenê (André); Danilo Neco e Evando (Lins). Técnico: Márcio Bittencourt

Gols - Evando, aos 5 minutos do primeiro tempo; Fellype Gabriel, aos 10 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos - Marco Antônio e Preto (Portuguesa); Pirão, Eduardo Arroz, Jean, Edilson, Giovanni (Ponte Preta)

Cartões vermelhos - Zé Carlos (Portuguesa); Deda (Ponte Preta)

Árbitro - Philippe Lombard (SP)

Renda - R$ 19.450,00

Público - 1.290 pagantes

Local - Arena Barueri, em Barueri (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.