Portuguesa empata com Ji-Paraná e reclama do árbitro

Time do técnico Vágner Benazzi fica apenas no empate e terá que realizar a partida de volta pela Copa do Brasil

14 de fevereiro de 2008 | 00h59

Caíram por terra os planos da Portuguesa em eliminar o jogo da volta na Copa do Brasil. A equipe sequer venceu a Ulbra Ji-Paraná nesta quarta-feira à noite, no Estádio Biancão, em Ji-Paraná. Empatou por 1 a 1 e agora terá que decidir a vaga em São Paulo, precisando de um empate sem gols. O jogo da volta está marcado para o dia 27. Até lá, a diretoria do time paulista espera ter o Estádio do Canindé liberado.Veja também: Calendário / Resultados da Copa do Brasil Três clubes antecipam vagas na 2.ª fase da Copa do Brasil Os dois gols foram marcados ainda no primeiro tempo e o empate da Ulbra gerou muita reclamação dos jogadores da Portuguesa. No lance, César tocou com a mão. "Ele deu uma verdadeira cortada de vôlei na bola", protestou Vagner Benazzi, mesmo assim o árbitro validou o gol. A Portuguesa deve fazer barulho na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), protestando contra o árbitro José Caldas de Souza, do Distrito Federal. Este gol saiu aos 41 minutos. Antes disso, aos 37’. Rogério tinha aberto o placar para o time paulistano. ULBRA JI-PARANÁ 1 x 1 PORTUGUESAUlbra Ji-Paraná: Marcus Vinícius; Donizete, Dudu e Vagner Leonardelli (Rael); Izaías (Ney Carioca), Ismael, Betinho, Zezé e Leandro César (Carlos Eduardo); Anderson Marabá e César. Técnico: João Carlos Cavalo.Portuguesa: André Luiz; Osmar, Bruno Ribeiro, Halisson e Bruno Recife; Rai, Erick, Carlos Alberto (Claudecir) e Preto (Miltinho); Rogério (Leandro Carrijo) e Ramón. Técnico: Vágner Benazzi. Gols: Rogério, aos 37 e César aos 41 minutos do 1.º tempo.Árbitro: José Caldas de Souza (DF)Cartões amarelos: Leandro César, Vagner Leonardelli, Izaías, Carlos Eduardo, Erick, André Luiz, Bruno Ribeiro.Público: 2.608 pagantesRenda: R$ 46.950,00Local: Estádio Biancão, em Ji-Paraná (RO)

Tudo o que sabemos sobre:
PortuguesaCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.