Portuguesa não admite perder em casa

Os jogadores da Portuguesa estão empolgados com os próprios jogadores da Portuguesa. O jogo contra o Santo André, hoje, às 20h30, no Canindé, tem gosto de decisão antecipada da Série B. Será o confronto entre líder e vice-líder. O time do ABC está na frente, com 14 pontos. O time de Giba tem um ponto a menos. ?Estamos fazendo uma campanha excelente. Estamos encarando essa partida como uma grande oportunidade para provar a nossa fase. Derrotarmos o Santo André seria excelente para continuar nessa arrancada e ganhar de vez a confiança da torcida e da mídia. Dá para acreditar na Portuguesa?, diz Sílvio Criciúma. ?Conseguimos montar dessa vez uma equipe forte e com perfil vencedor. Vamos enfrentar o Santo André, que tem excelente time, acreditando na vitória. Sinto que recuperamos a auto-estima. Com esse bom astral vamos chegar onde ninguém esperava?, aposta Gléguer. A diretoria também está nesse embalo e quer antecipar a liberação do atacante Leandro Amaral para o jogo de hoje. Como ele abandonou o Istres, rebaixado no Campeonato Francês, por atraso nos salários, não tem a sua liberação. Só que Leandro entrou na Justiça do Trabalho e com uma liminar espera poder entrar em campo contra o Santo André. ?Ele é um jogador diferenciado. Se tiver a liberação, vai atuar. Seja 30, 45 minutos. O potencial do Leandro é para desequilibrar uma partida difícil como essa. Quero contar com ele?, confirma Giba. O treinador, no entanto, percebeu que o time está alucinado para ganhar o jogo de hoje. E tratou de acalmar a equipe. ?Estamos ainda longe da decisão. Não quero esse clima antecipado, porque não leva a nada. Quero ganhar e acredito que meu time pode vencer. Mas a vitória não pode ser supervalorizada e nem a derrota ser o fim do mundo. Se a Série B fosse por pontos corridos como a Série A, tudo bem. Mas no nosso campeonato oito times irão se classificar e disputar as vagas no final. Mas não vou negar que é bom ver a auto-estima recuperada da Portuguesa.? Mas a alegria só não é total, por causa da saída do meia Cléber. O artilheiro do time deverá fazer a sua despedida hoje. Ele acertou a transferência para o Rizespor, da Turquia. Apesar de ser o destaque da equipe, sua multa rescisória foi de apenas R$ 400 mil. ?Gostaria de ficar, mas não tem jeito. Eu sou profissional e tenho de ir atrás da melhor proposta. Foi tudo conversado e acertado com os dirigentes da Portuguesa. Possivelmente, esse jogo contra o Santo André deverá ser o meu último por aqui.? Giba não esconde o descontentamento com a situação: ?Esse é o grande problema da Portuguesa. Se perdemos, a torcida vem nos pressionar. Se ganhamos os jogos, outros clubes querem levar nossos atletas. E com as multas fixadas não dá para fazer nada. Nós não paramos de montar o time enquanto dura o Brasileiro.? O próprio Giba recebeu convite do Rizespor. ?Eu só não fui porque acabo de voltar de um ano no Kuwait?, justifica o treinador. Gléguer também quase partiu: ?Eu não acertei com o Grêmio porque o time gaúcho não tinha R$ 100 mil para bancar a minha liberação. Meu atestado liberatório custa apenas R$ 100 mil?, diz o goleiro, um dos melhores do campeonato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.