Portuguesa perde do Botafogo e é eliminada na Copa do Brasil

No Engenhão, time do Canindé leva 2 a 1 e agora só volta a campo pelo Campeonato Brasileiro

Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

23 de abril de 2008 | 20h02

A Portuguesa adiou o sonho de passar pela primeira vez às quartas-de-final da Copa do Brasil. Perdeu para o Botafogo por 2 a 1 nesta quarta-feira, no Rio, num jogo em que se classificaria se conseguisse no mínimo o empate por dois gols. Na primeira partida, no Canindé, houve empate por 1 a 1. Nem mesmo a presença do atacante Diogo deu mais força à Lusa. Veja também: Calendário e resultados Corinthians-AL vence Juventude na Copa do Brasil O time de Vagner Benazzi atuou muito acuado no primeiro tempo, etapa em que foi amplamente dominado pelo Botafogo e só não saiu em desvantagem para o intervalo por pura sorte. Os mandantes desperdiçaram pelo menos cinco boas oportunidades. A Portuguesa não conseguia trocar dois passes seguidos, a bola não chegava para os atacantes Diogo e Christian e a defesa só tinha um recurso: o dos chutões para o alto.  O Botafogo era forte na marcação e contava com o apoio de 40 mil torcedores. Preto foi o ú  Botafogo2Renan; Alessandro    , Renato Silva, André Luís e Leandro Guerreiro; Túlio, Diguinho    , Zé Carlos (Fábio) e Lúcio Flávio (Edson); Jorge Henrique e Wellington PaulistaTécnico: Cuca Portuguesa1André Luiz; Patrício, Halisson, Marco Aurélio     e Bruno Recife; Erick    , Dias     (Júlio Santos), Carlos Alberto e Preto (Rogério); Diogo e Christian (Vaguinho)Técnico: Vagner BenazziGols: Lúcio Flávio, aos 3, Christian, aos 11, e Fábio, aos 27 minutos do segundo tempoÁrbitro: Heber Roberto Lopes (PR)Renda: R$ 353.287,00Público: 40.000 pagantesEstádio: Engenhãonico que tentou alguma coisa no início do jogo para a Portuguesa. Numa avançada pela esquerda, obrigou Renan a deixar a meta para não levar o gol. Mas o jovem goleiro do Botafogo, de apenas 18 anos, que substituía Castillo, contundido, por pouco não levou o técnico Cuca ao desespero. Renan dividiu com Renato Silva e Preto e a bola chutada para a frente pelo goleiro, bateu no atleta visitante, fez uma curva e quase entrou. O Alvinegro fez o primeiro gol em cobrança de falta de Lúcio Flávio, no começo do segundo tempo. E depois que Benazzi trocou Preto por Rogério, a Portuguesa passou a atacar e a dar trabalho à zaga do Botafogo. Christian empatou em lance de oportunismo, com a colaboração de Renan, que se atrapalhou na jogada. O empate por 1 a 1 levaria a decisão de uma vaga às quartas-de-final para os pênaltis. Enquanto André Luiz se desdobrava e fazia defesas difíceis, a Portuguesa avançava, mas de forma atabalhoada. Numa outra cobrança de falta, Lúcio Flávio alçou a bola sobre a área e Fábio, sem marcação, decidiu para o Botafogo. Apesar de lutar até o fim, a Lusa não teve como buscar o 2 a 2. Agora, o Botafogo vai enfrentar o vencedor dos confrontos entre Atlético-MG e Náutico.

Tudo o que sabemos sobre:
PortuguesaBotafogoCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.