Portuguesa promete reclamar na CBF

A Portuguesa promete bater o pé na CBF para não ser prejudicada pela arbitragem nos últimos quatro jogos do quadrangular final do Campeonato Brasileiro da Série B. Ainda revoltados com os problemas enfrentados na goleada de 4 a 1 sofrida diante do Náutico, no Recife, o time do Canindé espera contar, pelo menos, com o apoio da Federação Paulista de Futebol na guerra contra gaúchos e pernambucanos. Ainda atordoados, os dirigentes lusos não sabiam ao certo como encaminhar um protesto formal à CBF, no Rio de Janeiro, o que deve acontecer nesta terça-feira. Tanto o presidente Manuel da Lupa como o diretor de futebol Fernando Gomes se reuniram, nesta segunda, na sede da Federação Paulista de Futebol, com o presidente da entidade, Marco Polo del Nero. ?Nós já cansamos de pedir cuidado na indicação dos árbitros, mas acho que eles manipulam o tal sorteio?, contou Fernando Gomes, ainda desorientado e se sentindo sem força para reverter a situação. O presidente Manuel da Lupa, mais político, acha que a Federação Paulista vai comprar esta briga pela Portuguesa, único representante do Estado na fase final da Série B. ?O Marco Polo vai falar com o pessoal da CBF?, acredita Lupa. Se isso realmente acontecer, a FPF vai pedir para que os árbitros dos próximos jogos sejam todos de primeira linha. Havia um inconformismo com relação ao trio paraense liderado pelo árbitro Domingos de Jesus Viana Filho, o mesmo que na primeira rodada tinha apitado, no Canindé, a vitória de 4 a 1 da Lusa sobre o Santa Cruz. ?Mas não demos chances deles (juízes) fazerem nada neste primeiro jogo?, lembra o técnico Giba, ressaltando a excelente atuação de seu time na estréia em casa. Ao contrário, no Recife, Giba lembra as expulsões erradas, ainda no primeiro tempo, de Johnson e Rodrigo Pontes, além do cartão amarelo aplicado para o lateral-esquerdo Leonardo, que estava pendurado com dois amarelos. ?Foi um cartão suspeito?, completa o técnico. Fernando Gomes não tem dúvida que esta disputa da Série B, que vale duas vagas na Série A em 2006, está sendo acompanhada por uma grande briga de bastidores. ?A Federação Pernambucana está fazendo de tudo para apoiar seus dois representantes - Náutico e Santa Cruz - enquanto no Sul todos estão empurrando o Grêmio: a Federação, a Polícia Militar e até mesmo o pessoal do Clube dos 13?, do qual o time gaúcho faz parte. A direção da Portuguesa ainda não engoliu a antecipação do jogo contra o Grêmio, pela quarta rodada, para o dia 12 de novembro, em Porto Alegre, deixando o clássico pernambucano para o dia seguinte. ?Eles vão jogar sabendo do resultado anterior?, lamenta Gomes, que prefere acreditar na supremacia de seu time dentro de campo sobre os demais adversários.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2005 | 17h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.