Portuguesa quer acabar com jejum de vitórias no Paulistão

Time do técnico Benazzi não sabe o que é vencer desde o dia 23 de janeiro, quando bateu o São Caetano

05 de fevereiro de 2008 | 17h59

Há três jogos sem vencer, a Portuguesa tem uma boa possibilidade de quebrar este jejum na noite desta quarta-feira, uma vez que enfrenta o Paulista, que está em crise na competição, com apenas uma vitória em seis jogos. A partida, no entanto, será na caso do adversário, no Estádio Jayme Cintra, em Jundiaí, pela sétima rodada do Campeonato Paulista. A Portuguesa começou bem sua campanha, batendo adversários difíceis como Santos (2 a 0) e São Caetano (1 a 0). Com a falta de produção de seu ataque, após a contusão do jovem Diogo, o time despencou e ocupa apenas a 12.ª posição, com oito ponto ganhos.  Paulista Adinam; Bruno Ribeiro, Devas, Diego Padilha e Marco Aurélio; Eduardo, Réver, Jairo e Ricardinho; Tiago Tremonti e Neto Baiano Técnico: Giba  Portuguesa André Luiz; Osmar, Bruno, Marco Aurélio e Anderson; Erick, Dias, Carlos Alberto e Preto; Ramón e Christian Técnico: Vágner Benazzi Árbitro: Antonio Rogério Batista do PradoEstádio: Jayme Cintra, em Jundiaí (SP)Horário: 19h30 No Paulista, o problema vem desde o ano passado. Rebaixado para a Série C do Campeonato Brasileiro, o time de Jundiaí não se planejou como deveria e colhe os frutos no Estadual. Após quatro derrotas, um empate e uma vitória, o Paulista é o penúltimo na tabela, com quatro pontos, à frente apenas do lanterna Rio Preto, que tem um ponto.De novo astral após o empate por 1 a 1 contra o Santos na rodada passada, o Paulista não deve ter significantes alterações. Ainda conhecendo o elenco, o técnico Giba deve promover apenas a volta do atacante Neto Baiano, que deve formar dupla de ataque com Tiago Tremonti, autor do gol contra o Santos.Para voltar a vencer, o técnico Vágner Benazzi conta com duas importantes voltas após o empate sem gols com o Bragantino. O volante Carlos Alberto e o meia Preto cumpriram suspensão e reassumem as posições no time titular. Ainda sem poder contar com Diogo, o treinador decidiu manter Ramón ao lado de Christian no ataque.  Benazzi, no entanto, continua irritado: "Nós não podemos jogar no Canindé, porque a Federação [Paulista de Futebol] não libera, e ainda temos tido arbitragens muito ruins. Assim, não há Cristo que resista", desabafou.

Tudo o que sabemos sobre:
Paulistão A-1PortuguesaPaulista EC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.