Portuguesa se arma sem Cléber

Com o meia Cléber treinando apenas fisicamente, a Portuguesa começou a definir o time para o jogo contra o Náutico, sábado à tarde, no Estádio dos Aflitos, pela segunda rodada do quadrangular final do Campeonato Brasileiro da Série B. O técnico Giba não abriu o jogo, mas está em dúvida entre usar o esquema 4-4-2 ou o 3-5-2 quando defenderá a liderança. A própria situação de Cléber, que depende de um parecer médico, força esta pendência. O médico Marco Ambrósio só liberou o jogador para dar voltas no gramado, nesta tarde, mas acredita que a contusão não é grave. "Pelo que apuramos, as dores são conseqüência, dos chutes deles em gol com a perna esquerda. A região está dolorida, mas não houve nenhuma lesão muscular", confirmou o médico que liberou o volante Rodrigo Pontes. Mas algumas mudanças são dadas como certas. Uma delas é a entrada do lateral-direito Wilton Goiano, que cumpriu suspensão e ocupará o lugar de Maurício. O volante Rafael Toledo, também livre de suspensão, reforçará o meio de campo que não terá os volantes Almir e Rai, suspensos com três cartões amarelos. Existe ainda a possibilidade da entrada do zagueiro Emerson, que atuou bem na vitória de 1 a 0 sobre o mesmo Náutico, na segunda fase, na capital pernambucana. "Jogamos bem deste jeito lá em Recife, mas vou aguardar o Cléber porque se ele for vetado terei que recuar um pouco o Leandro Amaral como meia", admite Giba. A Portuguesa teria no meio de campo, o zagueiro Emerson, além dos volantes Alexandre e Rafael Toledo. A missão de armar as jogadas ficaria com Cléber, artilheiro do time com 13 gols, ou com Leandro Amaral, vice-artilheiro, com sete gols. O time fará mais um treino nesta quinta-feira à tarde e sexta-feira cedo embarcará para Recife, onde à tarde haverá um treino leve na Ilha do Retiro, estádio do Sport Recife.

Agencia Estado,

26 de outubro de 2005 | 18h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.