Portuguesa se diz pronta para subir

Ao apito final do juiz Wilson Luiz Seneme, no Brinco de Ouro, os jogadores da Portuguesa comemoraram muito o empate por 1 a 1 com o Guarani que garantiu ao time uma vaga no quadrangular final do Campeonato Brasileiro da Série B. Se depender da confiança do técnico Giba, o time tem condições de ir mais longe e buscar uma das duas vagas para voltar à elite nacional em 2006."Não foi tão fácil, nem esperávamos moleza porque o Guarani tem uma grande equipe e deu azar nesta fase. O importante, porém, é que garantimos nossa vaga na outra fase e vamos brigar pelo título", comentou Giba, emocionante e satisfeito. Ele voltou a lembrar a união do elenco, o apoio da diretoria e a participação importante da torcida nesta recuperação do time que chegar ao quadrangular pela primeira vez desde quando foi rebaixada, em 2002.Sobre a próxima fase, o técnico não tem dúvida de que será muito difícil e equilibrado, acreditando que as vagas serão decididas nos detalhes: "São clubes tradicionais, com grandes torcidas e todos jogos serão difíceis. Mas volto a dizer que estamos prontos para subir", completou. A estréia será em casa diante do Santa Cruz.Esta confiança também podiam ser ouvidas entre os jogadores, dos mais experientes como o goleiro Gléguer ou o capitão Silvio Criciúma, até o novato Celsinho, de 17 anos, que barrou o artilheiro Leandro Amaral. O atacante Mendes, herói da classificação, ao empatar o jogo aos 45 minutos do segundo tempo se sentia vingado, porque no início da competição foi dispensado do próprio Guarani. "É uma ironia do destino, mas acho que provei meu valor", afirmou.O presidente Manuel da Lupa confirmou que a diretoria continuará dando total apoio ao grupo, inclusive um prêmio de R$ 800 mil pelo acesso. "Não temos grandes parceiros, mas com muito esforço estamos com os salários de jogadores e funcionários em dia", garantiu o dirigente.Pelo lado do Guarani, o técnico Luiz Carlos Ferreira voltou a culpar os "Deuses do Futebol" pela eliminação do seu time. "Tivemos erros e acertos, mas os Deuses do Futebol não quiseram nossa classificação. Merecíamos ganhar da Portuguesa nos dois jogos e tomamos uma virada no final contra o Marília", citou Ferreira, que não disse se vai continuar no clube para a próxima temporada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.