Portuguesa teme Valdivia e a torcida palmeirense

Para o técnico Vagner Benazzi, jogador chileno é o melhor em atividade no futebol brasileiro

Giuliander Carpes, O Estado de S. Paulo

25 de março de 2008 | 18h43

Marcar o meia chileno Valdivia e não se intimidar com a torcida do Palmeiras. Estas são as chaves da vitória para a Portuguesa no jogo desta quarta-feira, no Palestra Itália, pela 17.ª rodada do Paulistão. Ao menos, é assim que pensa o técnico Vagner Benazzi, que completa 100 jogos no comando da Lusa justamente no duelo com os palmeirenses. Benazzi considera Valdivia o melhor jogador do futebol paulista na atualidade. Para marcar o chileno, o técnico da Lusa já designou o volante Erick. E dá a receita para pará-lo: "Ele tem que ser marcado de perto e com antecipações, para evitar faltas perto da área." Erick parece ter entendido o recado de Benazzi e promete não desgrudar de Valdivia no jogo desta quarta-feira. "É um jogador que faz a diferença. Teremos uma disputa muito boa", avisou o volante da Lusa. O treinador da Lusa acredita que a torcida palmeirense pode transformar o Palestra Itália em um verdadeiro caldeirão nesta quarta-feira. "O Palmeiras vem com uma boa campanha e o Luxemburgo pediu a presença do torcedor. Acho que eles vão comparecer em peso para apoiar o time deles. Mas vamos honrar a camisa da Portuguesa", prometeu Benazzi. Jogadores e comissão técnica da Lusa se apegam à campanha da Série B de 2006, quando escapar do rebaixamento era praticamente impossível e o time conseguiu, para ainda acreditar na classificação à semifinal do Paulistão - a Portuguesa está 10º lugar, com 25 pontos. "Já nos menosprezaram antes e se deram mal", lembrou Erick. Mas dificuldades não faltam. Benazzi não poderá contar com o centroavante Christian e com o zagueiro Bruno Rodrigo. Nas vagas dos dois, devem entrar o zagueiro Halisson e o atacante Vaguinho, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.