Portuguesa tenta acabar com jejum e fugir do descenso

Ao receber o Grêmio, clube tenta dar passo definitivo para escapar da Série B

Agência Estado

18 de novembro de 2012 | 08h53

SÃO PAULO - Dependendo praticamente de uma vitória para se livrar de vez da ameaça de rebaixamento, a Portuguesa espera atingir seu objetivo diante do Grêmio, neste domingo, 18, às 19h30, no estádio do Canindé, em São Paulo, pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas, para isso, a equipe terá que um jejum de quase 40 dias sem vitória, interrompendo uma fase negativa que atingiu o time, justamente, na reta final da competição.

 

O time paulistano está sem vencer há sete partidas - quatro empates e três derrotas. A última vez que conquistou três pontos foi na 28.ª rodada, no dia 4 de outubro, contra o Sport, em casa, por 5 a 1. A péssima fase fez o time despencar para a 15.ª posição, com 40 pontos, três na frente do primeiro time dentro da zona de rebaixamento, que é o próprio Sport. É contra o time pernambucano e contra o Bahia, também com 40 pontos, que a Portuguesa luta para evitar a volta prematura à Série B.

 

"O importante é a gente manter o foco no nosso objetivo. Uma hora a má fase vai acabar, as bolas vão entrar e tudo vai terminar certo. Espero que seja neste jogo, embora a gente sabe que o Grêmio é um time muito forte e que busca o vice-campeonato", analisou o técnico Geninho.

 

Justamente para manter a concentração total, o elenco passou cinco dias fora da capital, treinando em Águas de Lindoia (SP). "Ficamos longe do noticiário, portanto, fora da pressão, treinamos o necessário além de mantermos a alimentação e o descanso adequados", aprovou Geninho.

 

"Quando jogamos no Canindé nosso time fica mais forte. Nós sempre tivemos a torcida a nosso favor e acreditamos que não será diferente. Temos que mostrar garra e buscar o resultado para o torcedor sair satisfeito do Canindé", afirmou o meia Moisés, que está de volta ao time titular após cumprir suspensão automática - Héverton volta para o banco. O volante Ferdinando, recuperado de lesão, retorna no lugar de Rogério. O meio de campo, portanto, terá a base titular usada durante a competição.

 

Mas o time terá duas baixas importantes: o goleiro pentacampeão Dida, suspenso com três cartões amarelos, e o lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro, capitão do time, expulso na derrota para o Botafogo, no Engenhão. Gledson entra no gol e Raí vai para a lateral, onde Rogério pode aparecer improvisado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPortuguesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.