Portuguesa tenta evitar outra derrota

Time de pior campanha nas duas primeiras rodadas do Campeonato Paulista, a Portuguesa tenta esquecer a atual situação e pensar somente no confronto com o Santo André, adversário desta quarta-feira, às 20h30, no Estádio Bruno José Daniel, na região do Grande ABC. Na Série B de 2004, o time da Capital venceu este confronto por 3 a 0, no jogo acontecido após a conquista da Copa do Brasil pelo clube do ABC.Com as derrotas para Santos e Guarani, a primeira por goleada (5 a 1) e a última em casa (2 a 1, de virada), a Portuguesa amarga a última colocação na tabela, sem nenhum ponto e saldo negativo de cinco gols. Já o Santo André, que também perdeu na última rodada, para o Palmeiras, por 2 a 1, estreou com vitória e ocupa a oitava colocação, com três pontos e saldo positivo de um gol.A expulsão do volante Ramalho atrapalhou muito a escalação do Santo André pelo técnico Luiz Carlos Ferreira. Sem um marcador nato, a dúvida está entre Rodrigo Sá e Makelele, que disputou a Copa São Paulo com o nome de Leandro, mas prefere o apelido. Ferreira também optou por mudar o esquema do 3-5-2 para o 4-4-2, com a entrada definitiva do atacante Sandro Gaúcho. Quem deixou o time foi o zagueiro Diego Padilha. O treinador ainda está em dúvida entre Gabriel e Da Guia para formar dupla de defesa com Dedimar. Quanto à situação do adversário, Ferreira fez questão de não se animar. "Em casa é obrigação vencer e a Portuguesa sempre é uma pedra no nosso sapato", resumiu.Na Portuguesa, em meio ao desânimo pelos maus resultados, o técnico Zé Teodoro recebeu uma boa notícia na terça-feira. O goleiro Gléguer, que estava com dificuldades para regularizar sua documentação, conseguiu a liberação e se prontificou para o jogo. Fica a cargo do treinador escalá-lo no lugar de Rafael Fava, já que Gléguer não vinha treinando com o grupo.Esta pode ser única mudança em relação à derrota para o Guarani, já que o atacante Valdo, o lateral Maurício e o zagueiro Anderson Luís continuam machucados e só devem estar aptos para jogo na rodada do próximo domingo, diante do Rio Branco. Zé Teodoro a credita que, com mais entrosamento, os resultados começarão a acontecer naturalmente. "Montamos o time em 10 dias e não tivemos tempo para treinar tanto fisicamente como taticamente. Acho que nestes primeiros jogos, vai valer mais a garra do que a técnica", acredita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.