Mauro Horita/Estadão
Mauro Horita/Estadão

Portuguesa vence a 4.ª seguida em casa e deixa degola

Moisés, Gilberto e Bruno Henrique marcaram os gols ainda na primeira etapa

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2013 | 23h00

SÃO PAULO - A Portuguesa continua fazendo muito bem a lição de casa e, com isso, se fortalecendo para luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira no estádio do Canindé, em São Paulo, no fechamento da 22.ª rodada, fez 3 a 0 sobre o Náutico, com todos os gols marcados no primeiro tempo. Esta foi sua quarta vitória consecutiva como mandante, sequência que a livrou da zona de degola - com 25 pontos, em 16.º lugar. O clube pernambucano sofreu a sua 16.ª derrota em 21 jogos disputados, segurando a lanterna com apenas nove pontos.

Mesmo jogando bem, a Portuguesa vinha de derrota fora para o Fluminense por 2 a 1, no Rio de Janeiro. Por isso mesmo, o técnico Guto Ferreira sabia que seu time não poderia dar sopa para o azar. "Lembrei aos jogadores que outro dia mesmo o Náutico tinha empatado com o Corinthians no Pacaembu".

Mas a Portuguesa passou como um rolo compressor sobre o Náutico no primeiro tempo. Em cima, logo aos sete minutos abriu o placar. Após cruzamento da esquerda do estreante Bryan, emprestado pelo América-MG, o meia Moisés cabeceou com estilo para o canto esquerdo do goleiro.

A pressão era forte e aos 26 minutos quase a Portuguesa fez o segundo gol. Após mais uma bola alçada, Gilberto subiu sozinho e acertou o travessão. No rebote, Moisés tentou, mas em cima da linha Jean Rolt tirou o perigo. No entanto, aos 34 minutos, a Portuguesa ampliou. Em um chute forte e bem distante da grande área, Gilberto acertou o ângulo de Gideão. Um golaço. Para fechar o primeiro tempo, Bruno Henrique cobrou falta com perfeição, aos 41, sem chances para o goleiro pernambucano, que pouco pode fazer com a fraca etapa inicial do seu time.

O curioso é que Souza, que já tinha perdido uma cobrança, estava ajeitando a bola quando Bruno pediu para bater. E deu certo. "O Souza foi muito humilde e me deu força. E graças a Deus eu bati bem", festejou Bruno Henrique. No segundo tempo, a Portuguesa visivelmente se poupou. Passou a tocar a bola, às vezes até exageradamente, e não fustigou o fraco adversário, sem força de reação, como que fosse um boxeador nocauteado.

O Náutico volta ao gramado no domingo, no Recife, contra o Flamengo, às 16 horas, pela 23.ª rodada. Enquanto isso, no mesmo horário, a Portuguesa vai enfrentar o Internacional, na cidade de Novo Hamburgo (RS), onde o clube gaúcho tem mandado seus jogos.

FICHA TÉCNICA

PORTUGUESA 3 x 0 NÁUTICO

PORTUGUESA - Lauro; Luis Ricardo, Moisés Moura, Valdomiro e Bryan; Ferdinando, Bruno Henrique, Moisés (Corrêa) e Souza (Cañete); Bergson e Gilberto (Henrique). Técnico: Guto Ferreira.

NÁUTICO - Gideão; Dadá (Helder), Jean Rolt, Leandro Amaro e Bruno Collaço; Auremir, Derley e Tiago Real; Jones Carioca (Jonatas Belusso), Olivera e Hugo. Técnico: Levi Gomes.

GOLS - Moisés, aos 7, Gilberto, aos 34, e Bruno Henrique, aos 41 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Jean Rolt, Leandro Amaro, Derley e Jones Carioca (Náutico).

ÁRBITRO - Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG).

RENDA - R$ 21.520,00.

PÚBLICO - 1.808 pagantes.

LOCAL - Estádio do Canindé, em São Paulo (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPortuguesaNáutico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.