Divulgação
Divulgação

Possível retorno de Leandro Castán divide opiniões no Corinthians

Zagueiro atuou pouco na última temporada e tem salário elevado para os padrões brasileiros

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2017 | 07h00

O retorno de Leandro Castán ao Corinthians divide opiniões entre torcedores e, principalmente, dirigentes. O que mais pesa contra o jogador é a relação custo-benefício e existe ainda a dúvida de como ele está fisicamente, após ter atuado pouco na última temporada. 

Castán conseguiu a liberação da Roma para voltar ao futebol brasileiro e dá prioridade ao Corinthians na negociação. O problema, porém, é que o zagueiro recebe um salário elevado na Itália e estaria disposto a reduzir pela metade o valor, mas mesmo assim, muita gente no clube entende que não vale a pena o investimento.

Quem é contra a volta do zagueiro alega que, embora ele chegasse de graça, por empréstimo de um ano, ele receberia um salário muito alto para um jogador que deve ser reserva, principalmente se Balbuena permanecer no clube. 

Além disso, no ano passado, Castán sofreu com lesões musculares e jogou pouco pelo Torino, equipe onde estava emprestado. 

Por outro lado, os defensores do zagueiro alegam que ele pode ser importante pela experiência e também porque, caso Balbuena seja negociado, poderá atuar ao lado de Pablo. 

Castán foi campeão brasileiro em 2011 e da Libertadores em 2012, ambos pelo Corinthians, e em 2014 foi diagnosticado com cavernoma (malformação vascular do sistema nervoso central, que causou um tumor no cérebro). Ele foi obrigado a parar a carreira, passou por cirurgia e precisou reaprender a andar.

É fato, porém, que a diretoria corintiana busca um zagueiro no mercado. Paralelamente, os dirigentes tentam segurar Balbuena, que recebeu proposta do Genoa e tem sido sondado pela Lazio, ambos da Itália. Além dele, Carille conta no elenco com Pablo, Pedro Henrique, Vilson e Léo Santos. 

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthiansfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.