JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Possível título renderá ao Palmeiras prêmio superior ao do rival

Contrato com patrocinador faz clube alviverde ter bônus e poder embolsar quase o dobro do que será destinado ao Corinthians

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2018 | 07h00

Se for campeão paulista no próximo domingo, no Allianz Parque, o Palmeiras receberá um prêmio quase dobrado em comparação à recompensa que será destinada ao rival Corinthians caso levante a taça. A diferença se explica pelo bônus previsto em contrato pela patrocinadora do clube, a Crefisa, para ser entregue em caso de conquista no Estadual.

+ Clube vende todos os ingressos para a decisão

+ Apesar de veto das autoridades, rivais mantém treino

O Palmeiras receberá R$ 9 milhões se garantir o título, ante R$ 5 milhões do Corinthians, que ficaria apenas com a premiação prevista pela Federação Paulista de Futebol (FPF) para o campeão. A diferença de R$ 4 milhões é justamente o valor a ser repassado pela Crefisa ao clube alviverde. Esse acordo foi feito no ano passado.

Em fevereiro de 2017 o clube e a patrocinadora firmaram um novo vínculo, válido por duas temporadas. O contrato prevê o pagamento de diferentes recompensas para cada possível título conquistado. A soma total é de R$ 40 milhões, que só será atingida se o Palmeiras conquistar todas as taças disputadas na temporada.

A premiação pelo título, no entanto, não é a principal recompensa financeira do Estadual. As cotas de televisão representam a principal fatia e rendem R$ 20 milhões para cada um dos quatro principais clubes (Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo). O vice-campeão paulista receberá R$ 1,6 milhão da FPF.

Na tarde desta quarta-feira o Palmeiras vendeu todos os ingressos para o clássico. Restam apenas entradas para portadores de necessidades especiais, proprietários de camarotes e cadeiras cativas e para a comercialização interna aos associados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.