Alexandre Battibugli|Fotoarena
Alexandre Battibugli|Fotoarena

William Pottker diz que encontro com o Corinthians será especial

Atacante quase foi para o time alvinegro no início da temporada

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2017 | 07h02

William Pottker terá uma grande oportunidade de fazer o Corinthians se arrepender de ter desistido da sua contratação. O atacante tenta evitar polêmicas, mas demonstra sua ansiedade para brilhar diante dos dirigentes que o decepcionaram na busca pelo sonho de chegar a um time grande de São Paulo. 

Durante a semana, o jogador foi o mais assediado no Moisés Lucarelli e sabe que será assunto antes e depois da partida. O canhoto de 23 anos e dono da camisa 9 afirma que enfrentar o Corinthians, ainda mais depois de tudo o que aconteceu, lhe dá uma motivação extra. 

“É sempre bom enfrentar o Corinthians. A negociação do ano passado teve um ponto final para mim. Desejo toda sorte do mundo ao Corinthians e daqui para frente vou pensar na Ponte Preta apenas”, disse o artilheiro do time no Paulista, ao lado de Lucca, ambos com quatro gols marcados. 

Após o término do Estadual, Pottker realizará o sonho de atuar em um time grande. O Inter aceitou esperá-lo e mesmo sabendo que não poderá contar com ele na Copa do Brasil, deixou tudo certo para sua chegada no segundo semestre. 

Para ajudar Pottker, a Ponte conta com outro atacante bem conhecido dos corintianos: Lucca. Ele chegou ao clube junto com Yago como parte da negociação e acabou ficando. 

“Somos dois jogadores agudos, que não jogamos para trás e pensamos na equipe. O resultado disso é gol”, resumiu o futuro reforço do Internacional. 

Embora brigue pela artilharia do Paulista, Pottker não faz gol há três jogos, um pequeno tabu que já atrapalha. “Me incomoda esse jejum, pois no ano passado tive uma média de um gol a cada três jogos”, recorda. 

Além de Pottker, que quase mudou de lado, e Lucca e Yago, que ainda pertencem ao Corinthians, outro atleta da equipe de Campinas bem conhecido do corintiano é o meia Matheus Cassini, que começa no banco de reservas nesta partida. 

O jogador de 22 anos apareceu como uma promessa da base, mas foi vendido com apenas 20 anos para o Palermo, por R$ 3,5 milhões e não se firmou em solo europeu. Ele foi emprestado para o Inter Zapresic (Croácia) e Siracusa (Itália). 

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansFutebolPonte Preta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.