Prandelli motiva jogadores para 'tudo ou nada' contra Uruguai

Treinador italiano acredita em patriotismo para obter classificação

Luís Augusto Monaco - Enviado especial a Natal, O Estado de S. Paulo

23 de junho de 2014 | 13h18

Na véspera do jogo que classifica como o mais importante de sua carreira, o técnico italiano Cesare Prandelli aproveitou a entrevista coletiva que deu no fim da manhã na Arena das Dunas para tentar mexer com o brio de seus jogadores. Cansado de perguntas sobre tática e estratégia, num certo momento ele surpreendeu ao dar a seguinte declaração: "Num jogo assim, em que é tudo ou nada, há outras coisas que contam além da tática. Os uruguaios têm muito mais senso patriótico do que nós, e isso se nota dentro de campo. Amanhã temos de pensar em nosso país em todos os lances, em todas as divididas."

O treinador ficou muito decepcionado com a atitude de seus jogadores na derrota para a Costa Rica sexta-feira em Recife. Entende que o calor das 13h minou as forças deles, mas acha que faltou luta para tentar superar as adversidades. E quer um comportamento muito diferente na partida desta terça-feira.

"Temos de ir a campo determinados a superar todas as dificuldades. Os jogadores precisam dar tudo o que tiverem. Se cansarem tenho três substituições para fazer." Para tentar contagiar o time, Prandelli escalou dois jogadores considerados guerreiros, daqueles que deixam até a última gota de suor em campo.

O zagueiro Bonucci e o atacante Immobile. Embora seu time tenha a vantagem de empatar para avançar às oitavas de final, ele garante que a Azzurra não entrará em campo para jogar com o regulamento debaixo do braço. "Como sempre fazemos, vamos tentar impor o nosso jogo e procurar o gol. Se a partida acabar empatada, ótimo. Mas não vamos jogar com essa intenção."

  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.