Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Prass faz as contas para fugir do rebaixamento no Palmeiras

Goleiro destaca importância de vencer o confronto com o Bahia para poder deixar um concorrente mais distante na briga contra a degola

DANIEL BATISTA E RAFAEL FIUZA, Estadão Conteúdo

30 de outubro de 2014 | 17h01

No primeiro treino do Palmeiras na nova arena Allianz Parque, o assunto não foi exatamente o que o torcedor gostaria de ouvir. Com um adversário na disputa pela fuga do rebaixamento, o Palmeiras faz contas para não sofrer nas últimas rodadas da competição. O goleiro Fernando Prass admite que a partida contra o Bahia será uma decisão para a equipe paulista.

"O Bahia está com 31 pontos, nós temos 36 e se ganhar vamos abrir oito pontos deles. É um adversário que a gente pode deixar numa situação complicada. O Criciúma também pega o São Paulo, jogo difícil, e podemos abrir nove pontos. Então é uma partida importantíssima pela nossa pontuação e pela dos adversários também", calculou o goleiro do Palmeiras.

A equipe soma 36 pontos e precisa de três vitórias nos últimos sete jogos para evitar a queda, de acordo com a pontuação limite nas últimas temporadas. para o arqueiro, o aproveitamento nos últimos jogos provam que a equipe pode conquistar a pontuação. "Nos últimos seis jogos, ganhamos três, empatamos dois e perdemos somente um, sendo que os dois empates, contra Cruzeiro e Corinthians, sofremos o gol no fim. Mas esta semana começa tudo de novo", afirmou o goleiro.

Com os pés no novo estádio, Prass não escondeu a expectativa sobre a possível estreia, mas se preocupa com a torcida. Com a ausência de alguns laudos técnicos, o primeiro jogo na Allianz Parque não foi confirmado, mas o goleiro espera jogar o quanto antes. "Se fosse possível, teríamos estreado mês passado ou retrasado. Mas existem questões burocráticas e em primeiro lugar está a segurança, apesar de ser um estádio moderníssimo", ponderou o camisa 25 do Palmeiras.

Os últimos jogos da equipe de Dorival Junior como mandante serão contra Atlético-MG (08/11), Sport (20/11) e Atlético-PR (07/12). Até lá, caso a nova arena não seja utilizada, a WTorre deve ficar responsável pelo pagamento do aluguel do Pacaembu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.