Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Fernando Prass pede para erros dos árbitros não serem encobertos

Goleiro critica declaração de Sérgio Corrêa após o clássico

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2015 | 17h10

A arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira ainda repercute no Palmeiras e causa indignação entre jogadores e diretoria. O goleiro Fernando Prass deu entrevista coletiva nesta quinta-feira, na Academia de Futebol, e protestou contra o fato de Sérgio Corrêa ter defendido a atuação do árbitro na vitória do Santos por 1 a 0, pelo primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil.

"É uma questão de opinião, mas é muito difícil olhar aquela imagem e não ver que o David Braz, mesmo que involuntariamente, toca na perna do Barrios. O chefe da arbitragem não tem obrigação de comentar, mas a partir do momento que se propõe a dar opinião, não pode querer encobrir ou acobertar o que aconteceu", comentou.

Em entrevista ao Globoesporte.com, o chefe da Comissão de Arbitragem, Sérgio Corrêa, disse que não viu pênalti de David Braz em Lucas Barrios, lance que originou a reclamação dos palmeirenses.

"É ruim falar de arbitragem e o ideal é falar sobre o jogo, mas não tem como não falar de um lance daqueles. É um pênalti, uma provável expulsão, que tem de se comentar. O mais preocupante é quando o chefe da arbitragem vem e fala que tanto no jogo contra o Atlético-PR quanto nesse, o árbitro não errou", reclamou o goleiro palmeirense.

Apesar das reclamações, Prass alerta que o time também teve sua culpa pela derrota na Vila Belmiro. "São coisas separadas, a nossa má atuação e o erro da arbitragem. A gente sabe que os árbitros estão em desvantagem, mas o primeiro passo para melhorar é fazer uma análise e diagnosticar os erros", emendou.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebolCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.