JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Prass vê ano difícil como aprendizado para os atletas do Palmeiras

Goleiro 'esquece' sofrimento do fim da temporada e já prevê melhores resultados em 2015: 'Temos a chance de consertar tudo'

Estadão Conteúdo

12 de dezembro de 2014 | 11h13

O Palmeiras comemorou o seu centenário de fundação em 2014, mas dentro de campo o time não deu motivos para seu torcedor festejar. Afinal, a equipe caiu nas semifinais do Campeonato Paulista, nas oitavas de final da Copa do Brasil e, principalmente, só escapou do rebaixamento no Campeonato Brasileiro na rodada final. Um dos líderes do elenco, o goleiro Fernando Prass reconheceu a temporada ruim, mas avaliou que o ano de 2014 deve ser encarado como uma lição para um recomeço bem melhor em 2015.

"Muita gente fala que é um ano para se esquecer, mas eu penso justamente o contrário: é um ano que deve ser lembrado para que não sejam cometidos os mesmos erros e para que as próximas temporadas sejam melhores. A gente tem que olhar para os dois lados: claro que foi um ano péssimo, em termos de resultados, mas nos deu uma chance de consertar tudo para o ano que vem", disse.

Para Fernando Prass, 2014 também não foi um bom ano. Ele até foi eleito o melhor goleiro do Campeonato Paulista, mas fraturou o cotovelo direito nas rodadas iniciais do Campeonato Brasileiro e ficou afastado dos gramados por cinco meses.

"Foi um ano bastante difícil. Tive problemas de lesão, fiz duas cirurgias, enfrentei questões particulares e a situação do time incomodava. Mas, como tenho dito, prefiro ver o lado positivo das coisas. No fim das contas, tudo acabou de uma maneira menos traumática", afirmou, em entrevista ao site oficial do Palmeiras.

Em 2014, Fernando Prass disputou 32 partidas pelo Palmeiras, sendo capitão em 19 oportunidades, menos vezes apenas do que o zagueiro Lúcio - 22. E mesmo com todas as dificuldades, o goleiro acredita que teve bom desempenho quando pôde atuar pelo clube.

"Dentro de campo, individualmente, foi bom. Fui eleito o melhor goleiro do Paulistão e, apesar do tempo fora, quando voltei estava me sentindo bem e confiante. Com mais idade, você perde algumas coisas, mas ganha outras, e minha experiência no futebol me ajudou muito neste momento", completou Prass, que tem contrato com o Palmeiras até o final de 2015.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFernando PrassPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.