Pratos exóticos vetados na seleção

É muito comum entre os sul-coreanos saborear carnes consideradas exóticas pelos brasileiros, como a de cachorro. Diante disso, a comissão técnica orientou os atletas a não comerem qualquer coisa fora do menu natural sem a prévia autorização do médico José Luís Runco. O técnico Emerson Leão, que já esteve no país outras vezes, nunca experimentou o prato e o recusaria se fosse necessário. "Tá louco? cachorro não". Leão, porém, admitiu que já provou carne de avestruz, tartaruga, paca e cobra, além da tradicional carne de gato, no Rio de Janeiro. "É um churrasquinho maravilhoso." A alimentação durante a Copa das Confederações é de responsabilidade de Runco e, após o empate com o Japão, ele levou cinco bandejas de sushi e sashimi para o jantar dos atletas. "Ficou tudo lá intacto", comentou o treinador.

Agencia Estado,

05 de junho de 2001 | 20h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.