Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Pratto desabafa sobre críticas e justifica saída: 'Prioridade é minha filha'

Centroavante que estava no São Paulo foi vendido para o River Plate, da Argentina

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2018 | 18h39

O atacante Lucas Pratto se despediu nesta segunda-feira do São Paulo e disse que o principal motivo de sua saída do clube é para ficar perto de sua filha, na Argentina, e desabafou sobre informações de que ele estaria descontente com o planejamento do time brasileiro ou ainda buscando vaga na seleção argentina para a Copa do Mundo.  O centroavante se despede depois de quase um ano, em que atuou 48 vezes e fez 14 gols. Ele foi vendido ao River Plate por mais de 11 milhões de euros (cerca de R$ 42,5 milhões).

"É mentira que eu estou saindo porque não gostei de como foi 2017. Falaram também que eu era mercenário, que saí porque não gostei do planejamento do clube", desabafou. "É mentira. A questão não é econômica, nem esportiva. Nem por desgosto. A prioridade é minha filha. Sou filho de pais separados, assim como minha filha. Não tive por 29 anos uma figura paterna e vejo que isso é muito importante para ela."

O centroavante disse que só aceitou a transferência para o River após ter garantias de que o São Paulo seria "recompensado" na negociação. "Eu não sairia para outro time do Brasil ou da Europa ou China. E só sairia se a proposta da Argentina atendesse ao que o São Paulo queria, que o time fosse recompensado pelo esforço que fez para me trazer. Obviamente, eu ficaria feliz se continuasse no São Paulo, não jogaria bravo nem pediria para sair." 

O jogador ainda exaltou os esforços da diretoria tricolor em tentar mantê-lo no time em 2018, agradeceu o apoio da torcida e não descartou um retorno no futuro. "Esse ano vai ser muito diferente para o São Paulo, se Deus quiser. Vai ser um ano de conquistas. E se eu voltar um dia (para o Brasil), meu contrato tem uma cláusula em que o São Paulo terá preferência. Vou dar essa preferência."

Por ter 50% dos direitos econômicos do atleta, o clube tricolor receberia em tese cerca de R$ 21 milhões na transferência, valor próximo do que investiu para trazê-lo no ano passado, mas deve receber mais. Será um valor próximo de R$ 32,9 milhões, por detalhes contratuais não divulgados, que favoreciam o clube tricolro. O São Paulo também terá direito a bônus em caso de conquista de títulos de Pratto no River. 

Como adiantou o Blog do Morelli, do Estadoo clube preferiu vender o atleta a deixá-lo insatisfeito no Morumbi. Além da questão familiar, a busca por uma vaga na seleção argentina na Copa do Mundo teriam pesado na decisão do atleta, em deixar o futebol brasileiro, de acordo com fontes próximas ao jogador. Pratto, porém, nega.

"Fazer quinze gols no São Paulo ou no River seria a mesma coisa, é mentira que a saída tenha a ver com buscar uma vaga na seleção para a Copa. Minha desculpa, e que é a verdade, é que minha filha precisa de mim", disse.

Pratto foi a principal contratação do início da última temporada no São Paulo. Na Argentina, Pratto já atuou pelo Boca Juniors, Tigre, Union de Santa Fé e no Vélez Sarsfield, onde ficou até 2015, antes de vir para o futebol brasileiro, no Atlético-MG.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.