Raphael Ramos/Estadão
Raphael Ramos/Estadão

Pré-temporada do Corinthians mobiliza torcida nos EUA

Fanáticos pelo clube chegam a viajar 19 horas para acompanhar o elenco, que se prepara em Orlando para a disputa da Flórida Cup

Raphael Ramos, enviado especial a Orlando, O Estado de S. Paulo

15 de janeiro de 2015 | 11h39

Para manter a fama do bando de loucos, mesmo a 6.892 quilômetros de distância do Itaquerão, vale de tudo: fazer o filho cabular aula, dirigir 19 horas pelos Estados Unidos ou mesmo interromper as férias da família em plena DisneyWorld.

"A gente está longe, mas é apaixonado do mesmo jeito", diz o carpinteiro Ricardo dos Santos, 35 anos, 20 deles morando na Filadélfia. No começo da semana, ele, a esposa, dois filhos e mais dois amigos saíram de casa rumo a cidade de Orlando, apenas para ver o Corinthians jogar dois amistosos na Florida Cup, torneio amistoso que o clube participa como parte da pré-temporada nos Estados Unidos.

Dirigiram 1.390 quilômetros, 19 horas, muitas paradas e ainda mais expectativa para ver o Corinthians de perto. "Nem me importo direito com os jogadores, o que importa é ver essa camisa", explica Ricardo durante treino do time em Orlando. "Meus filhos nunca viram o Corinthians jogar, mas pergunta o time que eles torcem para você ver. Lá em casa não entra nem verde".


Durante os treinamentos do Corinthians em Orlando, um animado grupo de cerca de 30 torcedores seguiram fielmente os jogadores, vibrando com os gols e pedindo autógrafos para Guerrero, Cássio, Danilo e companhia. "O Tite é o mais simpático, ele atende todo mundo, assina camisa, tira foto", diz Ricardo. "Nunca achei que eles fossem tão legais. Depois vamos encarar mais 19 horas de volta para a Filadélfia, até porque meus filhos precisam voltar para a aula. Os moleques até perderam uns dias para vir para cá. Mas tudo vale a pena pelo Corinthians."

Os irmãos Daniel Teixeira e Rodrigo Colombino estão passando férias em Orlando com a família. Corintianos fanáticos viram nos treinos do time nos Estados Unidos a chance de conhecer de perto os seus ídolos, algo que acreditam que seria praticamente impossível no Brasil. "Aqui, a gente assiste ao treino na beirada do campo, ouve as instruções do Tite para os jogadores e depois ainda pode tirar foto com o pessoal. Como tem menos torcedor aqui, o acesso aos jogadores é fácil e eles dão mais atenção. Em São Paulo, dificilmente teríamos uma oportunidade como essa", diz Rodrigo.

Além de brasileiros que moram nos Estados Unidos ou estão no país a turismo, o Corinthians também está sendo acompanhado em sua pré-temporada por torcedores que compraram pacotes para viajar com o time. Eles pagaram cerca de R$ 10 mil para ter o direito de viajar no mesmo voo da delegação alvinegra e ainda tiveram a chance de participar de um jantar com os jogadores. 

Durante a passagem do Corinthians por Fort Lauderlade, no início da pré-temporada, a diretoria do Strikers chegou a vender ingressos para um treino do Corinthians na cidade e atraiu mais de 1,2 mil pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.