Jose Patricio/AE
Jose Patricio/AE

'Precisamos nos preocupar', diz Maicon no São Paulo

Depois da segunda derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro, o São Paulo acendeu o sinal de alerta

FERNANDO FARO, Agência Estado

13 de agosto de 2012 | 17h26

Depois da segunda derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro, o São Paulo acendeu o sinal de alerta. A equipe tem oscilado muito na competição, ainda não embalou uma sequência de vitórias e, com o resultado negativo diante do Grêmio, no último domingo, em pleno Morumbi, caiu para a sétima colocação, com 25 pontos. O volante Maicon, admitiu que o time precisa se preocupar com a atual situação.

"Precisamos nos preocupar porque perdemos dois jogos e poderíamos estar entre os quatro primeiros. Não podemos ficar adiando, temos condições e podemos sim brigar pelo título, por isso precisamos ver o que está errado e começar a somar os pontos rapidamente", declarou, nesta segunda-feira, 13. "Temos que pensar jogo a jogo. Temos muito campeonato pela frente e é necessário pensar uma coisa de cada vez".

Apesar de admitir que o momento exige preocupação, Maicon pediu tranquilidade aos companheiros. Ele apontou que o campeonato está bastante equilibrado e que uma sequência de vitórias pode levar o São Paulo novamente às primeiras colocações e, quem sabe, até à liderança.

"Vamos brigar para ser campeão, pensando uma partida de cada vez. Vamos firme com esse objetivo", afirmou. "Temos que estar tranquilos. Sabemos que nem sempre as coisas vão acontecer como queremos. É claro que queremos vencer e sabemos que temos que melhorar muito para engrenar uma sequência boa de vitórias para subir na tabela e ficar lá em cima", completou.

Diante do Grêmio, a defesa são-paulina foi muito criticada, mas o volante fez questão de dividir a responsabilidade do resultado com toda a equipe. "Temos que entrar para vencer. Ganhou ou perdeu, é todo mundo, não adianta apontar um ou outro porque isso não nos leva a lugar nenhum. Precisamos ter calma e nos fechar para conseguir ganhar os jogos", avaliou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.