Precisando de gols, Angola peca nas finalizações

Quando o meia Mateus foi substituído e o técnico Luis de Oliveira Gonçalves colocou o segundo atacante em campo (Love), a Angola melhorou na partida e conseguiu ameaçar o gol de Mirzapour. Porém, os angolanos pecaram nas finalizações - dos 15 chutes dados pela equipe, apenas 7 foram em direção ao gol. Já o Irã teve um desempenho melhor: acertou 13, dos 18 chutes.A principal aposta dos angolanos na partida foi o contra-ataque, por esse motivo que o Irã teve maior posse de bola: 55% contra 45%. O resultado do jogo angolano fez com que a equipe perdesse várias oportunidades de gol por causa dos impedimentos - foram 5 durante toda a partida.Mesmo tendo a metade dos escanteios de Angola (3 contra 6), foi numa dessas cobranças que o Irã conseguiu chegar ao empate, com o zagueiro Bakhtiarizadeh. Os angolanos também acabaram cometendo mais faltas - foram 23, contra 19 do Irã. Apesar da eliminação, a Angola teve dois motivos para comemorar o empate: o primeiro gol marcado em Mundiais e a escolha do melhor jogador em campo, que acabou sendo o meia Zé Kalanga.Veja abaixo as estatísticas do jogo:Finalizações: Irã, 18; Angola, 15 Finalizações certas: Irã, 13; Angola, 7 Faltas cometidas: Irã, 19; Angola, 23 Cartões amarelos: Irã, 3; Angola, 3 Cartões vermelhos: Irã, 0; Angola, 0 Escanteios: Irã, 3; Angola, 6 Impedimentos: Irã, 2; Angola, 5 Posse de bola: Irã, 55%; Angola, 45% Melhor jogador da partida: Zé Kalanga (Angola)(Com fifaworldcup.com)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.