Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Preços para vir à Copa no Brasil assustam europeus

Passagem, hospedagem e serviços terão preços elevados mesmo para a classe média

Jamil Chade, enviado especial, O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2013 | 07h41

GENEBRA - Assustados com os preços cobrados no Brasil por empresas aéreas, hotéis e serviços para a Copa do Mundo, torcedores europeus começam a montar esquemas alternativos para acompanhar suas seleções, fugir dos hotéis oficiais da Fifa e até mesmo acampar nas diferentes cidades brasileiras. Nesta semana, as Eliminatórias na Europa definiram praticamente todas as seleções do Velho Continente que irão ao Brasil. Restando apenas a França como campeã do mundo ainda por se classificar em uma repescagem, o Mundial de 2014 contará com Espanha, Alemanha, Itália e Inglaterra entre as campeãs europeias. O continente ainda mandará ao Brasil as seleções da Bósnia, Suíça, Bélgica, Holanda e Rússia.

 

Entidades de torcedores e federações nacionais consultadas pelo Estado confirmaram que aguardam o sorteio dos grupos da Copa, no dia 6 de dezembro, para montar seus pacotes. Mas reconhecem que já começaram a trabalhar para levar os torcedores ao Brasil e estão "sob choque" diante dos preços. "Jamais pensamos que esses seriam os preços para ir ao Brasil", disse Kevin Miles, um dos representantes da poderosa Federação de Torcedores da Inglaterra. "Todos estão aterrorizados", afirmou. "Tenho certeza de que muita gente irá para a Copa do Mundo. Mas é uma pena que se cobre esses preços. Certamente, não será um Mundial para a classe média".  Antes mesmo de a Inglaterra se classificar para a Copa, agências de viagem constataram que a busca por passagem ao Brasil desde Londres havia aumentado em 1095% para o período do Mundial.

 

Já a Associação de Torcedores da Bélgica saiu em busca de alternativas aos hotéis brasileiros. A entidade está oferecendo àqueles que queiram ir ao Brasil a possibilidade de permanecer em barracas em locais de acampamento. O grupo garante que vai buscar essas áreas nas cidades que a Bélgica for colocada. "Não podemos exigir que as pessoas paguem os preços dos hotéis que estão sendo pedidos no Brasil", disse um representante do grupo.  O pacote com barracas sairia ainda assim por cerca de 3 mil para apenas a primeira fase do Mundial. O Estado revelou em uma reportagem na semana passada que pacotes vendidos para a Copa do Mundo chegavam a custar R$ 32 mil por pessoa no exterior.

 

Ingleses, alemães, suíços e holandeses confirmaram ao Estado que também estão buscando modelos como o belga, com camping, viagens de ônibus entre cidades e montar suas próprias estruturas. Já os torcedores australianos, que também vão ao Brasil, desistiram de montar um acampamento no Rio de Janeiro. Motivo: a falta de segurança. Quem estava organizando o pacote era a agência Fanatics, especializada em eventos esportivos pelo mundo. Mas, segundo a companhia, nenhum local com segurança adequada foi encontrado. A opção inicial tem sido por albergues da juventude e hotéis de duas estrelas. Por enquanto, mais de mil pessoas já adquiriram esses pacotes.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa do MundoCopa 2014futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.