Prefeito de São Caetano ameaça CBF

Ao contrário do presidente do São Caetano, Nairo Ferreira de Souza, que garantiu que o clube não tomaria nenhuma medida contra a decisão do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, que excluiu o time paulista da divisão de elite do Campeonato Brasileiro, o prefeito de São Caetano do Sul, Luiz Tortorello, pensa e age de forma diferente. Em comunicado oficial, divulgado no final da tarde de hoje, Tortorello deixou claro que está disposto a entrar na Justiça caso a CBF não volte atrás e coloque o Azulão na 1ª Divisão. "Pela dignidade do esporte brasileiro e de São Caetano, nossa cidade esgotará, primeiramente, todos os recursos administrativos e, em última instância, acionará o Judiciário para garantir o direito do Azulão", afirma a nota. A principal alegação é de que o São Caetano está participando da Taça Libertadores da América por indicação CBF e, portanto, o vice-campeonato da Copa João Havelange deve ser encarado como oficial. Menciona ainda que, para disputar a primeira divisão, a equipe deve chegar à final da divisão imediatamente inferior. Isso teria ocorrido quando o time do ABC chegou à decisão do módulo amarelo contra o Paraná. O documento assinado pelo prefeito diz ainda que o São Caetano enfrentou "as mais estapafúrdias manobras para impedí-lo." Surpresa - A poucos minutos do embarque para o México, onde o time enfrenta, quarta-feira, o Cruz Azul, pela Libertadores, o diretor de Futebol, Genivaldo Leal, afirmava que nada sabia sobre a iniciativa do prefeito. "Estou sendo comunicado desse assunto agora, por você", disse. Apesar disso, é certo que o Azulão vai contar com a retaguarda da Federação Paulista de Futebol (FPF) e de alguns parlamentares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.