José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Prefeitura procura projetos para tentar modernizar Pacaembu

Estádio paulistano está defasado em relação às novas arenas e objetivo a atrair empreendedores para investir e remodelar o local

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

20 de janeiro de 2015 | 12h49

A inauguração do Allianz Parque e do Itaquerão, duas importantes novas arenas da cidade de São Paulo, motivou a Prefeitura de São Paulo a repensar a utilização do Estádio do Pacaembu. A edição desta terça-feira do Diário Oficial da Cidade de São Paulo traz um chamamento público que convida empreendedores, parceiros e clubes de futebol a apresentarem projetos de utilização da arena. O Santos é um dos clubes interessados.

"O Santos não demonstrou um interesse oficial, mas alguns dirigentes disseram que haveria a possibilidade de o Santos mandar alguns jogos no Pacaembu", afirmou o prefeito Fernando Haddad, em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, na sede de prefeitura. "Considerando as novas arenas da cidade, a ideia é abrir a discussão sobre a melhor utilização do Pacaembu para toda a sociedade, por meio de audiências públicas", completou o prefeito. 

Além de ser utilizado como a "casa" de um clube de futebol, o estádio também poderá se transformar em um parque municipal ou uma área poliesportiva. "Estamos abertos às ideias do empreendedores", afirmou o secretário de Esportes, Celso Jatene. Estudos iniciais da pasta mostram que os investimentos devem girar entre R$ 250 milhões e R$ 300 milhões. 

Entre as principais regras para os projetos está a preservação do estádio - algumas áreas, como a fachada e a ambiência, são tombadas pelo patrimônio público -, modernização e restauração da área poliesportiva. O nome (Paulo Machado de Carvalho) e o apelido (Pacaembu) devem ser mantidos, mas podem ser acompanhados de naming rights. 

A publicação da prefeitura exige que o estádio continue com sua vocação cultural ou esportiva, e a praça Charles Miller não faz parte da concessão. A prefeitura pretende conceder a gestão do estádio, que continuará com o status de arena municipal como sede de eventos importantes da cidade, como a final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, que marca o aniversário da cidade. 

Os interessados têm 20 dias para apresentar os novos projetos iniciais, que serão avaliados por uma comissão da Secretaria de Esportes. Se aprovados, devem ser finalizados em 90 dias para a validação final. De acordo com o prefeito Fernando Haddad, a modernização do Pacaembu está inserida na discussão da Lei de Uso e Ocupação do Solo, que tramita na Câmara Municipal. Além do Pacaembu, outros equipamentos públicos, como o Ceagesp e o Campo de Marte, também serão alvo de discussão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPacaembu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.