J.F. Diorio/Estadão
J.F. Diorio/Estadão

Premiação da Bola de Ouro deve ter saia-justa entre Fifa e governo

Polêmicas em relação aos gastos com a construção de estádios geraram desconforto da entidade máxima do futebol

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

08 de janeiro de 2014 | 05h00

GENEBRA - A Fifa utilizará a festa da entrega da Bola de Ouro, no dia 13 de janeiro, para promover a Copa no Brasil. Mas, com os estádios ainda por terminar, polêmicas em relação aos gastos e troca de farpas entre governo e a entidade máxima do futebol, o evento promete se transformar numa grande saia-justa.

O governo brasileiro não enviará ninguém de sua cúpula, apesar de terem sido convidados. As declarações de Blatter apontando que nunca tinha visto um país tao atrasado na organização de um Mundial voltaram a criar uma tensão entre governo e Fifa. Blatter recuou e tentou agradar a presidente Dilma Rousseff, mas o dano já estava feito.

A Fifa promete ao menos estrelas brasileiras no evento. Ronaldo estará em Zurique. Outra que promete chamar a atenção é Fernanda Lima, que apresentará o prêmio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.