Natacha Pisarenko/ AP
Natacha Pisarenko/ AP

Premiação da Libertadores duplica, mas ainda não é tão atrativa 

Conmebol aumenta o valor a ser pago ao campeão, mas ainda está bem distante de bônus pelo título da Copa do Brasil

Daniel Batista e Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2017 | 07h00

O título da Libertadores é um dos mais cobiçados pelos clubes, pelo status e por dar a oportunidade de disputar o Mundial de Clubes, mas financeiramente ainda está longe de ser o torneio mais vantajoso para as equipes brasileiras. 

+ Sorteio nesta quarta define caminhos de brasileiros na Libertadores

+Após punição a Del Nero, Romário diz que pode se candidatar à presidência da CBF

O campeão do torneio continental pode ganhar até US$ 11 milhões (R$ 36 milhões) contando os bônus por avançar nas fases do torneio. Apenas o prêmio pelo título é US$ 6 milhões (R$ 19,7 milhões), o dobro do que recebeu o Grêmio, último vencedor. 

O número é relativamente alto, entretanto se torna pequeno se comparado às premiações dadas para algumas competições nacionais, que possuem maiores prêmios por causa dos direitos de transmissão dos jogos.

A Copa do Brasil pode pagar até R$ 68,7 milhões ao campeão, dependendo da fase que o clube entrar na competição. Conforme for avançando de fase, ganha um bônus e só o título já são R$ 50 milhões. Além disso, o clube também garante a vaga para a edição da Libertadores de 2019. O vice ganha R$ 20 milhões mais bonificação por fases ultrapassadas. 

+ Clubes paulistas avançam no planejamento para 2018

Já o Mundial de Clubes deverá pagar a mesma quantia que o Real Madrid recebeu após sagrar-se campeão neste ano, cerca de US$ 5 milhões (R$ 16,5 milhões). Quanto ao Campeonato Paulista, o estadual pagará cerca de R$ 5 milhões ao campeão, valor que o Corinthians recebeu.

Existia a expectativa de que os números da premiação da Libertadores aumentassem para 2019, entretanto, os escândalos recentes envolvendo a Conmebol fizeram com quem muitas dúvidas em cima do torneio passassem a ocorrer. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.