Preocupada com 2018, Rússia nomeia inspetor antirracismo no futebol

A União de Futebol da Rússia anunciou nesta segunda-feira a nomeação do seu primeiro diretor antirracismo. A ação da entidade é um esforço para combater a discriminação no esporte do país, que vai sediar a próxima edição da Copa do Mundo, em 2018.

Estadão Conteúdo

30 Março 2015 | 12h45

O presidente da entidade, Nikolai Tolstykh, confirmou que Alexei Tolkachev foi nomeado "inspetor antirracismo". Não está claro, porém, que poderes terá Tolkachev, que já lida com casos de racismo no comando da diretoria de segurança da entidade.

No mês passado, o secretário-geral da federação russa, Anatoly Vorobyov, disse que seu desejo era de que o inspetor pudesse recolher provas de delitos racistas como parte de ações para reforçar o combate a esses atos no futebol.

Um relatório apresentado por duas organizações de combate à discriminação no mês passado revelou que houve mais de 200 casos de comportamento discriminatório ligado ao futebol na Rússia nas duas últimas temporadas.

Os casos recorrentes causam preocupação, ainda mais que o país será a sede da Copa do Mundo de 2018. O último deles envolveu um jogador brasileiro, o atacante Hulk, do Zenit, que foi alvo de ofensas de torcedores do Torpedo. Por causa disso, o clube de Moscou recebeu a pena de atuar em duas partidas como mandante sem a presença da sua torcida.

Mais conteúdo sobre:
futebol Rússia racismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.