Preocupada, polícia gaúcha acompanha jogo em São Paulo

A Brigada Militar do Rio Grande do Sul já está preocupada com o jogo decisivo da Copa Libertadores da América na próxima quarta-feira. Tanto que dois oficiais da Brigada Militar gaúcha estiveram nesta quarta no Estádio do Morumbi para conhecer melhor a diretoria do São Paulo e também os torcedores do clube.?Estamos colhendo informações para poder recepcionar bem o time e a torcida em Porto Alegre?, afirmou o tenente-coronel Jarbas Vanin, comandante do Batalhão de Operações Especiais (equivalente ao Batalhão de Choque de São Paulo, responsável pelo policiamento dos estádios) que, junto do tenente-coronel Isaias, chegaram a capital paulista no início da manhã.De acordo com o comandante, a capital gaúcha deve ter esquema de policiamento similar ao montado pela Polícia Militar paulista para a recepção dos visitantes. ?Viemos saber detalhes dos ônibus das torcidas e o deslocamento para verificar o esquema de comboio?, afirmou.O militar aproveitou, também, para tranqüilizar os torcedores que pretendem viajar para Porto Alegre, já que o Estádio Beira-Rio foi palco de confrontos entre as torcidas de Inter e Grêmio e também destes últimos com a Brigada Militar há duas semanas. ?Os paulistanos podem ter certeza que iremos garantir a segurança a todos.?O policial tambpem recomendou que os visitantes, já em Porto Alegre, liguem para o número 190 e peçam o número do Batalhão de Operações Especiais para conseguir orientação sobre rotas seguras e procedimentos de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.