Lucas Figueiredo/ CBF
Lucas Figueiredo/ CBF

Preocupado com erros da defesa, Jardine fará testes na seleção sub-23

Com falhas cometidas pelo sistema defensivo, equipe derrotou a Bolívia por 5 a 3 nesta terça-feira

Redação, Estadao Conteudo

29 de janeiro de 2020 | 15h44

A seleção brasileira sub-23 se classificou antecipadamente ao quadrangular final do Pré-Olímpico ao derrotar a Bolívia por 5 a 3, mas a atuação na partida de terça-feira, disputada em Armenia, na Colômbia, também provocou preocupações no técnico André Jardine, especialmente por falhas cometidas pelo sistema defensivo.

O Brasil correu riscos no fim da partida, pois, após abrir 4 a 1, viu os bolivianos diminuírem a desvantagem para 4 a 3, com o duelo sendo definido, de fato, apenas nos acréscimos do segundo tempo, com o gol marcado por Pepê, o quinto da seleção.

Além das falhas nos gols dos bolivianos, a seleção cometeu erros na saída de jogo, algumas envolvendo Robson Bambu. Jardine descartou mudar o estilo da seleção, defendendo ser fundamental para a equipe controlar as partidas. O treinador também apontou que as mudanças realizadas na lista de convocados para o Pré-Olímpico após vários clubes se recusarem a liberar jogadores tem atrapalhado a equipe.

"A gente treina, mas é pouco tempo, com zagueiros que estão vindo pela primeira vez. Os que estavam antes vinham em um nível avançado. A gente procura sair construindo, para ter controle. Se a gente brigar por bola longa, o controle do jogo escapa. Tivemos alguns problemas por nervosismo. É normal e natural em uma equipe que está se construindo. Não é fácil. A responsabilidade que eles têm de vestir a camisa da seleção também pesa. É importante eles irem se acostumando, porque têm qualidade. Os jogos vão dando bagagem", disse o treinador.

Classificado antecipadamente ao quadrangular que definirá os dois representantes da América do Sul na Olimpíada de Tóquio, o Brasil vai encerrar a sua participação na primeira fase do qualificatório na sexta-feira, quando enfrentará o Paraguai.

Jardine adiantou que utilizará as partidas para testes visando a etapa decisiva do torneio. O treinador tem escalado Nino e Robson Bambu como titulares da zaga, mas poderá acionar Bruno Fuchs e Ricardo Graça diante das atuações irregulares do sistema defensivo.

"A gente está sempre avaliando, observando não só os treinamentos. No jogo com o Paraguai, vamos dar espaço para atletas que não atuaram. Uma coisa é treino e outra é jogo. A equipe que jogará o quadrangular vai ser com quem melhor se apresentar", comentou o técnico da seleção sub-23.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.