Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Preocupado com vexames, Grêmio enfrenta o Pachuca pela semi do Mundial

Time gaúcho busca aprendizado em derrotas de Inter e Atlético-MG para não menosprezar adversário

O Estado de S. Paulo

11 de dezembro de 2017 | 23h00

O histórico recente de vexames sul-americanos no Mundial de Clubes da Fifa e o temor de ser personagem de nova frustração nortearam a preparação do Grêmio até a estreia na semifinal, nesta terça-feira, contra o Pachuca, a partir das 15h (horário de Brasília). A dois passos da conquista do mundo, o campeão da Copa Libertadores quer pensar o menos possível na proximidade do feito para não ser surpreendido pelo rival mexicano, nos Emirados Árabes Unidos.

+ Kannemann prevê semifinal difícil contra o Pachuca

+ Pachuca assume condição de azarão contra o Grêmio

A provável final com o Real Madrid é um assunto evitado na equipe gaúcha. "Para chegar em uma final, temos a semifinal. Não adianta ficar falando de Real Madrid, se temos o Pachuca. Este é o adversário que assistimos, todo o grupo, então estamos preparados para fazer esta semifinal", disse o técnico Renato Gaúcho. Quem passar do confronto vai enfrentar o vencedor da partida entre Real Madrid e Al Jazira, que jogam nesta quarta-feira.

O Grêmio mal comemorou o título continental e já começou a planejar de forma minuciosa a preparação para Abu Dabi. O time se dividiu em dois voos, para poder colocar os jogadores na classe executiva dos aviões. Para buscar conforto. Evitou a euforia da torcida. A chegada ao país-sede foi seis dias antes da estreia, para ajudar na ambientação ao clima e ao fuso horário.

O alerta sobre o risco da semifinal é latente desde 2010, quando o maior rival gremista, o Inter, perdeu para o Mazembe, da República Democrática do Congo. O revés por 2 a 0, no mesmo Emirados Árabes Unidos, foi a primeira zebra da história da competição desde o atual formato, decidido em 2005. 

Depois disso, as surpresas se tornaram mais constantes, como em 2013, com o Atlético-MG eliminado por 3 a 1 pelos marroquinos do Raja Casablanca. E, na última edição do torneio, com a vitória por 3 a 0 do Kashima Antlers, do Japão, sobre o Atlético Nacional, da Colômbia. "Não adianta pensar na final se não ganhar a semifinal. Foi assim que ganhamos a Copa do Brasil e a Libertadores, pensando jogo a jogo", disse o zagueiro e capitão Geromel.

O time gaúcho estreia no Mundial com formação parecida à usada na decisão da Libertadores, exceto pelas ausências de Arthur, machucado, e de Bressan, reserva. Entram na equipe o volante Michel e zagueiro argentino Kannemann, que cumpriu suspensão na partida da final contra o Lanús.

O último treino foi nesta segunda – aberto à imprensa. A equipe fez apenas um trabalho recreativo e buscou relaxar às vésperas do confronto. Antes do trabalho, o elenco acompanhou um vídeo com as jogadas mais perigosas do adversário mexicano.

O Grêmio vai disputar pela terceira vez o Mundial da Fifa. Na primeira, em 1983, Renato Gaúcho decidiu na grande final contra o Hamburgo, no Japão, ao marcar os gols da equipe na vitória por 2 a 1. Na ocasião seguinte, em 1995, o time comandado por Luiz Felipe Scolari perdeu em Tóquio, nos pênaltis, para o Ajax, da Holanda, após empate duro e disputado em 0 a 0.

É a primeira participação do clube desde que o torneio passou a ser organizado pela Fifa. O último campeão mundial brasileiro foi o Corinthians, em 2012. Nos anos seguintes, o Atlético-MG decepcionou na semifinal e depois os times do País não venceram a Libertadores.

A dificuldade em se chegar tão longe, no entanto, não permitiu ao Grêmio comemorar por muito tempo a terceira conquista continental. "Vamos respeitar, mas viemos para ganhar. O Grêmio pensou grande o ano todo, veio para ganhar, com todo respeito ao adversário mexicano", avisou o treinador.

O Pachuca é mais experiente em Mundiais e disputa pela quarta vez o campeonato. A melhor campanha foi em 2008, quando perdeu na semifinal para a LDU, de Quito, e ficou com a quarta posição. Apesar do poderio financeiro do futebol mexicano, jamais o país conseguiu chegar à final. As melhores campanhas foram de semifinalistas.

LISTA DE ZEBRAS

2010

Inter perdeu para o Mazembe por 2 a 0. Na disputa de terceiro lugar, ganhou do Seongnam, da Coreia do Sul, por 4 a 2. 

2013

Raja Casablanca derrotou o Atlético-MG por 3 a 1. O time de Ronaldinho bateu o Guangzhou Evergrande e ficou em terceiro.

 

2014

San Lorenzo venceu, mas o Auckland City, da Nova Zelândia, resistiu até a prorrogação, quando foi derrotado por 2 a 1.

 

2016

Kashima Antlers bateu o Atlético Nacional por 3 a 0. Colombianos só garantiram o terceiro posto ao superar o América, do México, nos pênaltis.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO X PACHUCA

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Cortez; Jaílson, Michel, Ramiro, Luan e Fernandinho; Lucas Barrios; Técnico: Renato Gaúcho

PACHUCA: Óscar Pérez; Martínez, Herrera, Murillo e Emmanuel García; Hernández, Aguirre, Urretaviscaya, Guzmán e Honda; Sagal. Técnico: Diego Alonso.

Juiz: Felix Brych (Alemanha). 

Local: Hazza bin Zayed, em Al Ain. 

Horário: 15h (de Brasília) 

Na TV: Globo, SporTV e Fox Sports. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.