Preparador diz que Magrão não joga

O ambiente no Palmeiras, que já era bom com a classificação para a próxima fase da Série B do Campeonato Brasileiro em primeiro lugar, ficou ainda melhor nesta terça-feira, durante o primeiro treino da equipe na mini-pré-temporada que está sendo realizada na cidade de Extrema (MG): o volante Magrão tem chances de jogar. O jogador participou de parte dos treinamentos com o restante do grupo. Há duas semanas, quando Magrão sofreu contusão na coxa esquerda, o diagnóstico do médico Vinícius Martins era de que o volante ficaria cerca de quatro semanas inativo. Atualmente, o responsável pela área médica do Palmeiras acredita que há a possibilidade de ele voltar uma semana antes do prazo. ?Hoje eu diria que ela seria de 1 ou 2%." Martins afirmou que Magrão já está recuperado da contusão, mas precisa passar por um trabalho de fortalecimento muscular com os preparadores físicos para não correr risco de sofrer nova lesão durante os treinos ou mesmo na partida contra o Santa Cruz, até agora prevista para sábado. ?Não estamos pensando no jogador somente para esta partida, mas para todo o restante do campeonato. Não podemos correr o risco de perdê-lo mais para frente." O preparador físico Walmir Cruz também foi cauteloso sobre a possibilidade de Magrão atuar no sábado dizendo que as chances são pequenas. Ao mesmo tempo, porém, deu uma notícia animadora ao falar do volante. ?Ele é um jogador que normalmente tem uma recuperação física rápida após contusões." Cruz diz que, se a escalação de Magrão dependesse exclusivamente de seu empenho na recuperação, a presença já estaria garantida. ?Ele é um atleta muito aplicado. Na verdade nossa preocupação é justamente o contrário: evitar que ele se empolgue no trabalho muscular, acabe exagerando e, com isso, prejudique o tratamento." O jogador tentou conter a empolgação e mostrou cautela ao falar, mas não escondeu seu desejo de estar em campo contra o Santa Cruz. ?Tudo o que eu posso dizer é que eu estou motivado e vou trabalhar de acordo com o que o médico mandar", afirmou. Sobre o treino desta terça-feiram, o jogador diz ter se sentido bem, sem dores. A situação de Magrão é diferente da do meia Pedrinho. ?Ele ficou seis semanas parado e precisa de um tempo maior para se recuperar fisicamente", observou Martins. O jogador, apesar de clinicamente curado, ainda sente dores e a recuperação só poderá progredir quando ela não mais incomodar nos movimentos de chute.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.