Preparador do Flamengo diz que altitude não é problema

O título da Copa Libertadores é a grande meta do Flamengo para a temporada que se inicia. Mas, para esse sonho poder se tornar realidade, o clube precisa primeiro passar pela pré-Libertadores. O adversário, o Real Potosí, da Bolívia, por si só, não mete medo. O temor do torcedor é quanto à altitude de Potosí, localizada 3.967 metros acima do nível do mar. Mas, para o preparador físico Antonio Mello, isso também será tirado de letra.

AE, Agência Estado

29 de dezembro de 2011 | 14h15

"Sou um preparador físico experiente em treino desportivo. Jogar em altitude é um fator que domino com tranquilidade. Vamos chegar com um pouco de antecedência e nos preparar lá", explicou Mello, falando do jogo marcado para o dia 25 de janeiro. A partida de volta, no Rio, será uma semana depois.

Antes de jogar na Bolívia, o Flamengo fará sua estreia na temporada contra o Bonsucesso, no Rio, no dia 21 de janeiro, quando começará o Campeonato Estadual do Rio. O Carioca, porém, não é prioridade, e o clube rubro-negro deve usar reservas sempre que necessário.

"Vamos focar a parte física na pré-temporada e vamos fazer um trabalho diferenciado por conta da Libertadores. Dentro do Carioca, quando houver necessidade, vamos utilizar um time misto", disse Antonio Mello, que começará a trabalhar com o elenco no dia 3 de janeiro, quando o grupo volta de férias.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoCopa Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.