Presença do Santos ajuda o América-SP

O jogo Santos e Vasco, que poderá indicar o novo campeão brasileiro, vai ajudar o América de São José do Rio Preto no Paulistão/2005. O presidente do clube, Joacy Lopes, ainda espera, com o apoio dos empresários da cidade, cobrir todas as despesas e ficar com 8% da renda. Para ter o privilégio de sediar o jogo de domingo, o América gastará R$ 60 mil com vôo fretado para o time do Santos e hospedagem. Segundo os cálculos de Lopes, o clube vai arrecadar cerca de R$ 45 mil com a porcentagem da renda. "Estamos tentando que o empresariado assuma o custo do Santos. Dessa forma, ficaríamos com os 8% da renda para aplicar no time. O América não tem sócios e vive de eventos especiais." O argumento de Joacy Lopes para os empresários é simples. A presença do Santos atrai muitos visitantes de fora e coloca a cidade, via tevê, em todo o Brasil. "Isso tem um valor inestimável para São José do Rio Preto. Os empresários ganham com isso. Poderiam dar alguma coisa." Com a Prefeitura, o presidente do América não conseguiu nada. Rio Preto tem 400 mil habitantes; a região, em raio de 180 quilômetros, cerca de 3,5 milhões. E o América é o único time da região na Série A-1 do Paulistão. Joacy diz que o América disputou o jogo com Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Mogi Mirim, dentre outras. E que Luxemburgo pesou na escolha. "O Vanderlei considera o gramado do Teixeirão o melhor do Brasil." E acrescenta: "De qualquer forma, a realização do jogo também é fruto de um trabalho que estamos fazendo à frente do América. O clube andou esquecido por causa das más administrações anteriores. Mas agora estamos recuperando nosso espaço." O América já está com o time praticamente pronto para o Paulistão/2005. O técnico será Roberval Davino, com longo currículo no Estado, "o Luxemburgo do Interior", segundo o presidente do América. O América já fechou parceria com os materiais esportivos Wilson, já vendeu as costas da camisa para a Hexal (laboratório alemão) e agora está comercializando a parte da frente do uniforme. "Estamos terminando o ano com os salários dos jogadores e dos funcionários em dia. Isso é um orgulho", diz Joacy Lopes, que nasceu em Santa Adélia, na região de Rio Preto. Lopes passou a quinta-feira em São Paulo e, a partir desta sexta-feira, cuidará dos últimos detalhes para o jogo que terá um público de 36.426 expectadores. Além de altos executivos e o presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, que já confirmaram presença ao presidente do América, ele também recepcionará o governador Geraldo Alckmin que prometeu assistir ao jogo. "Um deputado me disse ontem que o presidente Lula também poderia aparecer. Mas isso ainda não está confirmado". De qualquer forma, os visitantes ilustres terão um camarote especial que está sendo terminado especialmente para o jogo. "Nós vamos oferecer o máximo de conforto a todos". A direção do América não está prevendo nenhuma comemoração especial caso o Santos conquiste o título. Como o Atlético-PR também tem chances, o troféu de campeão não estará no Teixeirão. "Certo mesmo, os jogadores farão a festa no gramado. E os torcedores fora do estádio", diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.