Presidente asiático defende saída de Blatter da Fifa

Joseph Blatter está na Fifa há muito tempo e precisa ser substituído na presidência do organismo máximo do futebol, afirmou nesta segunda-feira Mohamed bin Hammam, presidente da Confederação Asiática de Futebol. Menos de dois meses depois de ajudar o Catar a ser escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2022, Bin Hammam disse que a longevidade de Blatter no comando da Fifa tem contribuído para a percepção de que a organização é corrupta.

AE-AP, Agência Estado

24 de janeiro de 2011 | 13h05

"Todo mundo está nos acusando hoje de sermos pessoas corruptas, porque talvez as pessoas vejam que Blatter ficou muito tempo na Fifa", disse. "Trinta e cinco anos em uma organização é bastante tempo. Não importa o quanto você é limpo, honesto e correto, ainda assim as pessoas vão te atacar. Você vai ficando indefeso. É por isso que eu acredito que a mudança é a melhor coisa para a organização".

Blatter, de 74 anos, chegou à Fifa em 1975 como diretor técnico, tornou-se secretário-geral em 1981 e presidente em 1998. E ele tentará o quarto mandato de quatro anos como presidente da Fifa, em junho, e até agora não tem nenhum concorrente. Embora Bin Hammam tenha dito que quer um dia substituir Blatter, ele não quis revelar se pode participar da próxima eleição. "Eu prefiro esperar e ver", afirmou.

Mas Bin Hammam espera que alguém concorra contra Blatter. "Gostaria de ver dois candidatos se apresentando, ou talvez mais de dois se apresentando no congresso da Fifa", afirmou. "Disputa é boa para organização, para presidente ou qualquer outro cargo. A competição é a melhor maneira de tornar a organização vibrante e limpa".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.