Presidente colombiano pede saída de técnico da seleção

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, pediu nesta segunda-feira que a Federação Colombiana de Futebol aceite o pedido de demissão do técnico Hernán Darío Gómez, flagrado em frente a um bar no centro de Bogotá agredindo uma mulher, há cerca de duas semanas.

AE-AP, Agência Estado

22 de agosto de 2011 | 12h58

Gómez teria se irritado porque ela o criticava devido ao seu fraco desempenho à frente da seleção. A agressão causou grande comoção no país e, pressionado, o técnico pediu demissão apenas três dias depois. Mas, amparada pelos jogadores da seleção, a federação alegou que o início das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2014 estava muito próximo e, assim, rejeitou a renúncia.

Juan Manuel Santos, no entanto, não gostou da decisão. Considerando que a atitude do treinador de 55 anos foi "muito reprovável", o presidente sugeriu a contratação de um técnico estrangeiro. "A federação deveria contratar um treinador estrangeiro para que dê outros ares a nossa seleção. Os jogadores que temos são muito bons e podem seguir bem pelas Eliminatórias", opinou Santos.

Este não é o primeiro episódio de violência envolvendo Gómez, que já havia anteriormente atacado um jornalista e agredido um torcedor. Ele chegou pela primeira vez à seleção colombiana em 1995 e permaneceu até a Copa do Mundo na França, em 1998. Depois, retornou em maio do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.